Votos do utilizador: 5 / 5

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

Negociar o contrato de TrabalhoUm contrato de trabalho deve ser sempre negociado. Para ajustar o contrato às necessidades do empregador e do trabalhador há que usar diplomacia e uma argumentação forte.
A questão está em perceber quais são os elementos negociáveis, pois nem tudo pode ser discutido e ajustado. Pode discutir a remuneração, as clausulas, mas não pode trabalhar menos ou mais do que as horas estipuladas por lei.

O que não deve fazer:
Negociar logo no primeiro encontro, principalmente se ainda está em processo de recrutamento;
Ser intransigente, exigir muito e não ceder em nada;
Abdicar dos seus direitos;
Assinar sem perceber tudo o que está escrito e as suas consequências;
Ao negociar certifique-se de que o está a fazer com a pessoa certa e de que está em condições de o fazer, tendo em conta o trabalho realizado.
O seu estatuto e remuneração são elementos que deve negociar periodicamente. O valor e o mérito têm de ser reconhecidos dentro da empresa!

Como qualquer negócio, pode conseguir levar a melhor ou não, mas se tiver razão e souber convencer, só não será admitido ou promovido se a empresa enfrentar graves problemas financeiros.

A qualidade do seu trabalho ou o seu currículo devem falar por si. É importante mostrar que sabe quais são os seus direitos e que não está disposto a deixar a empresa prejudicá-lo.

Qualquer alteração no seu contrato deve ser bem estudada e se puder contactar um advogado para pedir conselhos faça-o! Conhecer a legislação do trabalho ou ter alguém que o possa ajudar é fundamental, se for despedido ou quiser rescindir o contrato.

Para poder negociar tem de saber exactamente até onde é que pode ir em termos legais e ter em conta a situação actual da empresa.

Escolher o momento ideal é essencial, o timing pode ditar o sucesso da sua negociação.Acima de tudo contrabalance todas as variáveis e faça uma proposta razoável, depois pode sempre negociar até conseguir chegar onde quer.

Fonte: www.expressoemprego.pt