Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 
Dez dicas para o CV perfeito1. Seja simples
Um currículo não é mais do que a descrição resumida da sua história académica e profissional. Utilize-o para chamar a atenção sobre as suas potencialidades, sem se perder demasiado em pormenores que dificultem a leitura.Poderá sempre dar explicações mais detalhadas quando o convidarem para uma entrevista.

2. Estilo empreendedor
Recorra o mais possível a verbos activos, por exemplo: alcançar, iniciar, administrar, realizar, ser responsável por, dirigir.Apresente os seus mais importantes sucessos profissionais um a um, em pontos separados. Utilize frases curtas e concisas. Evite os parágrafos longos.

3. Inversão cronológica
Comece pelo emprego actual e recue cronologicamente, não se esquecendo de incluir o nome e o país de origem das entidades para quem trabalhou; assinale sempre, nas datas, o princípio e o fim do período de tempo a que se referem; mencione sempre o seu cargo nas empresas e faça uma breve descrição das mesmas, acrescentando as realizações pessoais que considere pertinentes. Se está à procura do primeiro emprego, registe qualquer primeira experiência de trabalho RELEVANTE, quer tenha sido remunerada ou não.

4. Molde o seu currículo à empresa
As entidades patronais reconhecem a milhas um currículo enviado em série. Assim, por exemplo, se se candidata a um emprego em Informação Tecnológica assegure-se que a enfâse é dada aos seus trabalhos realizados nessa área.

5. Seja honesto
Mentir é uma perda do seu tempo e do tempo do seu potencial empregador. Acrescentar seis meses à sua permanência num emprego pode parecer uma boa ideia, mas se for apanhado nessa mentira terá decerto perdido a nova oportunidade. Mas não se menospreze. Se pensa que os três Verões que passou a fazer trabalho voluntário no estrangeiro podem mostrar o seu conhecimento de um determinado país e cultura — escreva-o no seu currículo.

6. Educação
Dê a devida relevância aos objectivos que conseguiu alcançar durante os seus estudos — a não ser que esteja há mais de dois anos no mercado de trabalho. Capitão de equipa, representante da associação de estudantes, cenógrafo de uma peça levada à cena na Universidade, tudo isso demonstra que é entusiasta e tem espírito de iniciativa.

7. Não escreva testamentos
Tente escrever o seu currículo numa só página com uma folha em anexo para referências. Se não couber tudo, não reduza o corpo de letra. Qualquer dificuldade de leitura levará o seu potencial patrão a pôr de lado o seu currículo .

8. Atenção à ortografia
Erros tipográficos e gramaticais significam que o seu currículo vai directamente para o arquivo geral. Nenhuma empresa quererá empregar alguém que nem se deu ao trabalho de rectificar o seu próprio currículo. Não confie na correcção automática do seu computador, leia-o você mesmo.

9. Um olhar de fora
Uma pessoa de fora é muito útil para localizar erros ou dar sugestões. Uma vez que se trata do seu próprio currículo, e já o leu três ou quatro vezes, será difícil distanciar-se e olhar para ele com objectividade. Nunca tente começar e acabar o seu currículo de uma assentada — volte sempre a lê-lo ao fim de dois dias. 10. As referências Confirme as suas referências antes de as acrescentar ao seu currículo. Nada pior do que usar o nome de alguém que já não pode ser localizado na morada indicada ou que tem quaisquer ressentimentos contra si. As melhores pessoas para se usar como referências são o seu actual patrão, ou um professor do liceu ou da universidade – alguém que saiba como você reage em ambiente de trabalho.