Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

A reforma por invalidez é um apoio financeiro mensal, destinado a proteger os beneficiários em situações de incapacidade permanente para o trabalho, que é avaliada segundo o estado físico e mental da pessoa, a sua idade, e capacidade de trabalho ainda apresentada.

Consoante o nível de incapacidade do beneficiário, a invalidez pode ser considerada relativa ou absoluta.

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Com o arranque do novo ano, a reforma antecipada volta a ser possível para os trabalhadores com 60 anos. Mas há penalizações. A partir de 2016, a idade da reforma aumenta: será preciso trabalhar até aos 66 anos e 2 meses para receber a pensão completa.

A partir de janeiro de 2015, os trabalhadores que tiverem, pelo menos, 60 anos e 40 de descontos, podem reformar-se. No entanto, haverá uma penalização de 0,5% por cada mês de antecipação relativamente à atual idade de reforma - 66 anos.

Imagine que tem 64 anos e meio e quer sair do mercado de trabalho. A redução será de 9% (18 meses x 0,5 por cento). Se o cálculo da sua pensão resultou em € 1 000, o corte relativo à antecipação é de 90 euros. O valor da pensão será de 910 euros.

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Comparando regras de 2012 com 2014, quem se reformar aos 63 anos terá uma penalização pesada au travail-31

O exercício comparativo é relativamente simples. Imagine o caso de um trabalhador do Estado que tem 63 anos e pretende reformar-se com 38 anos de serviço, 30 dos quais realizados até 2005 (a chamada parcela 1 ou P1). Comparando as regras em vigor em 2012 com as de 2014, a perda é de 21%. A idade legal da reforma passou de 65 para 66 anos na última sexta-feira.

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Governo já disponibilizou no seu sítio da internet um simulador onde os cidadãos podem verificar o impactoMan  Vultures da Contribuição Extraordinária de Solidariedade (CES) para 2014 no valor bruto da sua pensão mensal.

Assim, os pensionistas ficam a saber quanto vão receber depois do aumento da Contribuição Extraordinária de Solidariedade.

Por exemplo, se a pensão mensal bruta for de 1.100 euros, com o novo regime vai passar a receber apenas 1.061 euros, o que equivale a um corte de 39 euros. 

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Alterações serão levadas a cabo nas reformas já este anoau travail-38

A alteração à fórmula de cálculo das pensões vai implicar, por si só, um corte transversal de 7,8% nas pensões atribuídas em 2014, depois da entrada em vigor da lei de convergência, revela o Jornal de Negócios.