Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Já no próximo ano, a idade da reforma vai aumentar para os 66 anos, como foi aprovado na quinta-feira emp persos-19 Conselho de Ministros, mas a tendência é que continue a aumentar todos os anos, tendo em conta a subida da esperança média de vida, avança hoje o Jornal de Negócios.

«A lei pode prever que a idade normal de acesso à pensão de velhice seja ajustada de acordo com a evolução dos índices da esperança média de vida», lê-se no documento aprovado ontem pelo Governo e que impõe alterações à Lei de Bases da Segurança Social.

Segundo o jornal, esta alteração abre a porta a que a idade da reforma não se fique pelos 66 anos, mas que todos os anos aumente. Isto porque, conforme explica num outro documento o ministro Pedro Mota Soares, o aumento que entrará em vigor no próximo ano resulta do ajustamento do factor de sustentabilidade.

Ora, se os registos históricos mostram que, em média, a esperança média de vida aos 65 anos aumenta 0,2 pontos por ano, a manter-se esta tendência, a idade da reforma poderia aumentar para 66,1 anos em 2015 e para 66,2 anos em 2016, e assim sucessivamente.

Pelo que, conclui o documento do ministro da tutela, «se a variação da esperança medida de vida for positiva, a idade normal de acesso à pensão aumenta, se for negativa diminui».

O mesmo foi, de alguma forma, confirmado na quinta-feira pelo ministro da Presidência, Marques Guedes, no final da reunião do Conselho de Ministros, ao afirmar aos jornalistas que «se em 2016 ou 2017 [a idade da reforma] pode passar para os 67 ou 68 anos, diria que depende da evolução que houver da esperança de vida».

Fonte: Diário Digital