Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

O "envelhecimento activo" é a resposta ao declínio demográfico nacional e, por isso, o ministro do Trabalho e da Solidariedade Social, Vieira da Silva, avisa que "o tempo das reformas antecipadas passou em definitivo".

O ganho civilizacional que significa o prolongamento da esperança média de vida é também um problema, nomeadamente, no plano de bem-estar dos idosos, que coloca novos desafios às políticas de saúde, dos rendimentos, equipamentos e serviços sociais.

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Fundação da zona histórica do Porto despede funcionáriosOs 26 trabalhadores receberam proposta sexta-feira e estudam contraproposta, por considerarem o valor em causa "inadmissível"

Os 26 trabalhadores da Fundação para o Desenvolvimento da Zona Histórica do Porto (FDZHP) receberam sexta-feira uma comunicação de despedimento colectivo, revelou ao PÚBLICO um dos funcionários.

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

OCDE propõe mais apoio a emprego e menos betãoRelatório aconselha investimento de base do Estado com a execução pelos agentes locais

O último relatório da OCDE sobre o "Estudo Territorial de Portugal" - apresentado este domingo na Alfãndega do Porto - recomenda a aposta na geração de riqueza e de emprego nas regiões mais pobres e menos construção de equipamentos.

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Desemprego e baixa de salários – principais causas de pobrezaO Centro Desportivo e Cultural da Biquinha acolheu, no passado sábados, as Jornadas de Reflexão para a Erradicação da Pobreza, iniciativa organizada pelas MSD - Movimento das Mulheres Sociais-democratas e da ADDIM - Associação de Desenvolvimento de Mulheres e Crianças Vítimas de Violência.

O debate, moderado pela líder da Concelhia matosinhense do PSD, Clarisse Sousa, contou com as intervenções de Manuel Lemos, presidente da União das Misericórdias, do médico Artur Osório, de Agostinho Branquinho, deputado da Assembleia da Republica e de Giovanna Toscano, representante da ADDIM.

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Sindicatos pedem entre 4 e 5% de aumentoOs sindicatos da Função Pública reinvindicam aumentos salariais para o próximo ano que variam entre 4 e 5 por cento, valores bem acima da inflação prevista pelo Banco de Portugal, a organização mais pessimista.

Com a entrega esta quarta-feira da proposta reivindicativa da Frente Sindical da Administração Pública (FESAP),filiada na UGT, que pede uma actualização salarial mínima de 3,5 por cento, fecha-se o ciclo de apresentação de propostas.