Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Centenas no desemprego após regresso das fériasSão mais 430 novos desempregados, a que se somam muitos mais com salários em atraso

Acabaram as férias e, para centenas de trabalhadores, também o trabalho. Em Agosto, foram vários os patrões que decidiram fechar as fábricas. Só este Verão foram 13. Resultado: 430 novos desempregados.

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Actualização dos salários em 2009 deve ter em conta aumentos em EspanhaAs negociações salariais nas empresas devem ter em conta, além da produtividade, os aumentos registados no sector privado dos países concorrentes de Portugal, como Espanha ou Alemanha, defende o managing partner da Boyden, Luís Alves Monteiro.

Em declarações à agência Lusa, o ex-secretário de Estado da Indústria e agora responsável da empresa especializada em recrutamento de executivos, considera que "os acréscimos salariais não poderão ser decididos sem ter em conta os níveis de produtividade que se possam gerar".

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Papa denuncia O Papa Bento XVI denunciou, este domingo, a "praga" do desemprego e da precariedade laboral entre os jovens, apelando ainda à defesa da família tradicional, num discurso proferido no decorrer de uma visita à ilha italiana da Sardenha.

Segundo a Agência Efe, num discurso proferido perante várias dezenas de milhar de jovens em Cagliari, o sumo-pontífice lamentou estes flagelos sociais, referindo que o desemprego e a precariedade põem em causa os projectos de vida dos jovens, levando-os à emigração e ao abandono da terra onde nasceram.

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Metade das pessoas ganha até 600 eurosCerca de 151 mil pessoas não ganhavam mais do que 310 euros líquidos por mês, em 2007, de acordo com o Instituto Nacional de Estatística. Em Portugal, metade dos trabalhadores ganha menos de 600 euros por mês.

Os 950 euros que entram em casa sustentam um idoso, um bebé e dois adultos. Ambos trabalham, ela numa empresa, ele no que aparece. Fátima e o marido são dois dos 1,7 milhões de pessoas, que trabalham por menos de 600 euros por mês.

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Contratadas lesadas por engravidarCircular contraria incentivo à maternidade. Contratos de trabalho recusados em período de licença de parto

No momento em que José Sócrates anunciava novos incentivos à maternidade, o Ministério das Finanças divulgava uma circular que limita o direito das mulheres a renovar contratos a prazo durante o período de gozo da licença de maternidade.