Votos do utilizador: 0 / 5

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

A secretária de Estado da Segurança Social disse esta sexta-feira que há um plano estratégico para o atendimento na Governo pondera voltar a abrir call center para Segurança sociaSegurança Social e que a reintrodução de um centro de contacto na Segurança Social é uma das medidas preconizadas

A secretária de Estado da Segurança Social disse esta sexta-feira que há um plano estratégico para o atendimento na Segurança Social e admitiu a reintrodução de um "call center" semelhante ao encerrado em Castelo Branco em 2012.

"Foi apresentado muito recentemente pelo presidente do instituto [Segurança Social] um plano estratégico para o atendimento na Segurança Social. Uma das medidas da avaliação que foi feita é que será fundamental avançarmos novamente com o centro de contacto por toda a organização do instituto e, neste momento, as diligências estão a ser tomadas", disse Cláudia Joaquim.

 

A governante, que falava aos jornalistas depois da abertura da I Feira Económica Social da região de Castelo Branco, sublinhou que o plano para o atendimento existe e que a reintrodução de um centro de contacto na Segurança Social é uma das medidas preconizadas.

O anterior Governo liderado por Pedro Passos Coelho encerrou em 2012 o centro de contacto nacional ("call center") Via Segurança Social que funcionava em Castelo Branco.

Na altura, o ministro da Solidariedade e Segurança Social, Pedro Mota Soares, justificou o seu encerramento, afirmndo que o modelo de funcionamento do centro era "insustentável" financeiramente.

Cláudia Joaquim sublinhou que nesta fase está a ser feita uma avaliação que aponta para o facto de que um centro de contacto com características semelhantes "será a melhor solução".

"De facto, a experiência que houve [em Castelo Branco] foi muito positiva e foi sentida por todos os cidadãos a nível nacional e é essencial voltarmos a ter um centro de contacto", sustentou.

Contudo, não excluiu a hipótese de Castelo Branco voltar a ter esse equipamento: " Naturalmente, em Castelo Branco, já tivemos uma experiência muito positiva e, portanto, não estará certamente excluído, mas neste momento é prematuro".

A secretária de Estado disse ainda que avaliação que está a ser concluída é sobre a necessidade da capacidade de resposta.

"É isso que está em causa, quantas chamadas deverão ser asseguradas para se prestar um bom serviço aos cidadãos a nível nacional", concluiu.

Fonte: TVI24