Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

A Região Norte dá sinais de estar a recuperar vitalidade: dados do segundo trimestre mostram que o emprego está no nível mais alto de há seis anos e que o desemprego está no mais baixo dos últimos três anos e meio.Emprego na Região Norte no máximo de seis anos  Naqueles três meses, houve mais 38 mil pessoas empregadas, sendo que o emprego feminino foi o grande responsável para que a Região Norte suplantasse, pelo terceiro trimestre consecutivo, a evolução do emprego a nível nacional, ao registar um crescimento homólogo de 5,1%, enquanto a componente masculina sofreu, pelo contrário, um decréscimo, ao cair 0,4%, face a igual trimestre do ano passado.

A revelação consta no "Norte conjuntura", um relatório trimestral divulgado pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento da Região Norte (CCDRN). O mesmo documento assinala que o crescimento do emprego foi impulsionado sobretudo pelo sector do comérico (mais 29 mil empregados), seguido do alojamento e restauração (+10 mil). Já o sector transformador continuou a perder postos de trabalho (-14 mil).

Em matéria de desemprego, o Norte registou novo alívio, com a taxa a cair para 8,2%, a mais baixa dos últimos três anos e meio, tendo sido contabilizados 164 mil desempregados. Apesar de estar ainda acima da média nacional (7,3%), o valor da região recuou, quer em relação ao primeiro trimestre quer face ao trimestre homólogo de há um ano.

Quanto a matéria salarial, o salário médio praticado na região teve um crescimento real de 3,5% face há um ano, enquanto a nível nacional se manteve uma tendência negativa. Em termos nominais, o salário médio mensal na Região Norte, de 689 euros, foi inferior ao nacional em cerca de 6,5%, refere ainda a nota trimestral de conjuntura.
Fonte: in Jornal de Notícias