Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Sindicatos pedem entre 4 e 5% de aumentoOs sindicatos da Função Pública reinvindicam aumentos salariais para o próximo ano que variam entre 4 e 5 por cento, valores bem acima da inflação prevista pelo Banco de Portugal, a organização mais pessimista.

Com a entrega esta quarta-feira da proposta reivindicativa da Frente Sindical da Administração Pública (FESAP),filiada na UGT, que pede uma actualização salarial mínima de 3,5 por cento, fecha-se o ciclo de apresentação de propostas.

O Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado (STE), também filiado na UGT, apresentou um pedido de aumentos salariais para os trabalhadores do Estado de 4 por cento. Já a Frente Comum afecta à CGTP foi mais longe, tendo anunciado o pedido de subida dos salários de 5 por cento.

Qualquer uma destas propostas está bem acima da taxa de inflação prevista para 2009. O Banco de Portugal, a organização mais pessimista, prevê uma taxa de inflação igual a 2,5 por cento.

O governo de José Sócrates conta com um aumento dos preços igual a 2,2 por cento, previsão igual à da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE).

A Comissão Europeia prevê que a taxa de inflação para Portugal chegue a 2,3 por cento e a projecção do Fundo Monetário Internacional fica pelos 2 por cento.

Estas projecções foram feitas até Julho. Desde esse mês, a taxa de inflação em Portugal tem estado sempre acima de 3 por cento. No entanto, existe a expectativa de que a taxa de inflação desacelere no próximo ano, em resultado do abrandamento económico nos países da Zona Euro.

Esta esperança foi revelada recentemente pelo governador do Banco de Portugal, Vítor Constâncio, em Nice, quando interpelado sobre se esperava uma diminuição futura do índice preços na sequência da desaceleração económica. "Em 2009, sem dúvida que sim", disse.
Fonte: in Jornal de Notícias