Votos do utilizador: 0 / 5

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Se o seu banco for o próximo a fechar portas, o dinheiro está seguro? Tudo depende das aplicações escolhidas.Bank

Investir em planos poupança-reforma, fundos, ações e obrigações deixa o seu dinheiro exposto a diferentes graus de risco. Em alguns casos, o banco funciona apenas como intermediário e nada acontece ao capital investido se o banco acabar por fechar portas. Mas o mesmo não acontece com outras aplicações.
Já as contas à ordem e depósitos a prazo até 100 mil euros, por banco e por titular, estão protegidos pelo Fundo de Garantia de Depósitos. Se o seu banco fechar portas, o Banco de Portugal aciona este fundo para reembolsar os depositantes.

Dependendo das aplicações que mantém no seu banco, o seu dinheiro pode estar mais ou menos seguro. Por isso, a primeira regra é informar-se corretamente sobre o tipo de investimentos que lhe propõem. Esclareça todas as dúvidas antes de subscrever e se não entender bem o funcionamento do produto, fique afastado. Não confie cegamente nas propostas do seu banco.

Contas à ordem e depósitos a prazo
Estão totalmente protegidos até 100 mil euros por banco ou por titular. Em caso de encerramento da instituição bancária, o Banco de Portugal pode acionar o Fundo de Garantia de Depósitos para reembolsar os depositantes. Para quem tem mais de 100 mil euros no banco e quer ficar mais tranquilo, é recomendável que disperse essa poupança em diferentes instituições ou que adicione às suas contas o nome de outros titulares que não tenham, eles próprios, ultrapassado o valor de 100 mil euros depositados nesse banco.

Planos Poupança-Reforma (PPR)
Habitualmente os bancos funcionam com intermediários de seguradoras ou fundos autónomos para vender estes produtos. Assim, em caso de encerramento do banco, nada acontece ao dinheiro aplicado no PPR. Naturalmente, a entidade gestora deverá comunicar-lhe o nome de um novo intermediário.

Fundos
As aplicações feitas em fundos de investimento (monetários, de ações ou de obrigações, mistos, flexíveis, imobiliários, etc.) não sofrem diretamente com o eventual encerramento do banco, pois o património dos fundos é autónomo à instituição bancária. Tipicamente, o banco funciona apenas como intermediário nestas aplicações.

Créditos
Se contratou um crédito para obras, para compra de habitação, automóvel ou pessoal, a sua dívida permanecerá intacta em caso de encerramento do banco. A entidade que comprar os ativos do banco assume a continuidade do contrato e não haverá qualquer interrupção da cobrança de prestações.

Obrigações do banco
Esta aplicação poderá estar exposta a maior ou menor risco, consoante o tipo de obrigações escolhidas. Se tiver investido em obrigações seniores emitidas pelo banco, e perante o seu declínio, estas aplicações têm prioridade na recuperação do capital investido, face a outras obrigações. Já se tiver optado por obrigações subordinadas do banco, não há prioridade na recuperação do capital investido e o seu dinheiro pode estar em risco. Assim, se ambos os tipos de obrigações têm risco, o seu dinheiro está mais em perigo se forem subordinadas.

Ações do banco
Se o banco fechar, as ações do banco perdem todo o seu valor e o mesmo acontece ao dinheiro que investiu. É uma aplicação com muito risco.

Fonte: Deco Proteste