Votos do utilizador: 0 / 5

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

»Cabina
[Equipamentos de trabalho] Local de transporte de pessoas, nos monta-cargas que possuam certificado ou autorização para o transporte de pessoas.
É obrigatória a indicação do número máximo de pessoas que podem ser transportadas de cada vez.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Cabo de elevação
[Equipamentos de trabalho] Elemento metálico, de nylon ou de corda, utilizado na elevação de materiais, destinado à movimentação de cargas.
Deve ser mantido, verificado e armazenado de modo a evitar que se danifique.
É aconselhável etiquetá-lo de modo a facilitar a sua identificação e dispor da indicação da carga máxima.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Cabo eléctrico
[Electricidade] Condutor constituído por vários fios electricamente distintos e reunidos num mesmo invólucro isolante. Num estaleiro, os cabos eléctricos utilizados em ligações e extensões devem ser apropriados, tendo em conta a sua estanquicidade e ligação terra.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Cabo-guia
[Movimentação de cargas] Elemento destinado a limitar a oscilação horizontal da plataforma suspensa. Cabo utilizado na movimentação de cargas com aparelhos elevatórios destinado a direccionar a carga. É utilizado em geral com cargas compridas como varões, tubos, barrotes, etc., em que se procura que só haja esforços de compressão.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Cábrea
[Movimentação de cargas] Mastro em ferro ou madeira utilizado para elevar cargas. Os equipamentos de elevação de cargas não devem ser improvisados e devem dispor da indicação das cargas máximas, além de outras medidas de segurança.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Cabrestante
[Movimentação de cargas] Tambor equipado de trinco e manivelas em volta do qual se enrola o cabo para elevação de cargas.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Cachorro
[Construção] Consola de pedra, betão ou madeira encastrada numa parede ou saída de um pilar, destinada a suportar cargas excêntricas.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Caibro
[Construção] Barrote ou sarrafo aplicado em telhados para receber a ripa onde assenta a telha.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Caixão
[Construção] Elemento metálico, monobloco, destinado à protecção de terras em entivações. É recomendável a sua utilização em substituição dos elementos de madeira porquanto conferem maior segurança a estes trabalhos de elevado risco e dispõem das protecções recomendáveis, ou seja, rodapé, escada de acesso, etc.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Cal
Óxido de cálcio que submetido a tratamentos em fornos dá a cal viva. É ávida de água e, em contacto com esta, pode produzir queimaduras.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Caleira
Elemento destinado a drenar água ou outros líquidos e conduzi-los para outros pontos de cota inferior.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Camartelo
[Equipamentos de trabalho] Martelo grande, usado para partir pedra ou para demolições.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Caminho-crítico
Termo usado em planeamento para designar um percurso sem folgas, ou seja, quando no atraso em qualquer actividade, se reflecte no prazo final.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Canalização
[Construção] Tubos que servem para o transporte de fluidos.
A sua movimentação com grua requer equipamento apropriado. Na fase de escavações devem ser cuidadosamente assinaladas, de modo a evitar danificação acidental.
Em obras industriais, durante a fase de ensaios, devem ser devidamente protegidas ou assinaladas a fim de precaver riscos de queimaduras ou outros.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Cantaria
[Construção] Pedra talhada para aplicação em obra.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Capacete
[Segurança no trabalho] Equipamento de protecção individual para a cabeça que se destina a proteger o utente de qualquer risco residual dentro do espaço da obra.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Catapaz
Operário que orienta o trabalho de outros menos qualificados.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Carcinogéneo
Qualquer substância que, em contacto com um tecido vivo, pode originar um tumor maligno.
Fonte: TELO, Emília; CORREIA, Maria Manuela Calado. Prevenção de riscos no período de maternidade: guia de boas práticas.. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto para a Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho, 2006.

»Carga
[Pintura] Substâncias minerais incorporadas nas tintas formando a estrutura destas;
[Movimentação de cargas] Elemento transportado por aparelho de elevação;
[Electricidade] Fase de acumulação de energia eléctrica numa bateria;
[Minas] Conjunto de produtos explosivos colocados num furo para desmonte de uma rocha;
[Geotecnia] Elemento ou conjunto de materiais destinados a criar uma força dirigida a fim de se ensaiar um solo.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Carga de utilização
[Movimentação de cargas] Carga deslocada por um aparelho de elevação compreendendo a soma das massas do cabo, do cadernal, da lingada e respectiva carga.
Deve ser sempre do conhecimento do manobrador e do responsável pela movimentação de modo a ser sempre inferior à carga máxima.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Carga máxima de utilização
[Movimentação de cargas] Carga de utilização afectada do coeficiente de segurança indicado para o aparelho em causa.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Carregadora (Pá)
[Equipamentos de trabalho] Máquina auto-motora equipada de um dispositivo de carga (balde) situado na posição frontal.
Serve para remover terras num curto espaço (carregar camiões, silos)
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Cascalho
Pedra britada com diâmetros entre os 30 e os 150 milímetros.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Catalisador
Agente que influi sobre uma reacção química.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Caterpillar
[Equipamentos de trabalho] Designação comercial de um Bulldozer.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Cátodo
[Electricidade] Pólo negativo de uma pilha ou bateria eléctrica.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Cáustico
[Substâncias perigosas] Que queima ou corrói, obrigando a medidas de segurança ou equipamentos de protecção individual apropriados.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Cavalete
[Equipamentos de trabalho] Armação móvel de madeira ou metal destinada a formar bancadas provisórias nas obras. Não deverão ser utilizadas a não ser que obedeçam a medidas de segurança específicas para este equipamento.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Cavilha
Elemento de fixação utilizado em estruturas metálicas ou de madeira.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Centro Nacional de Protecção contra os Riscos Profissionais
O Centro Nacional de Protecção contra os Riscos Profissionais, é uma instituição de Segurança Social, de âmbito nacional, que tem como objectivo assegurar a prevenção, tratamento, recuperação e reparação de doenças ou incapacidades resultantes de riscos profissionais.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Certificação
Processo destinado a evidenciar a conformidade de um serviço, produto, equipamento ou procedimento com normas ou
especificações predefinidas.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Certificação profissional
Comprovação de que um profissional é detentor das competências e de outras condições exigidas para o exercício de uma determinada profissão ou actividade profissional, por referência a um perfil profissional previamente definido.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Certificado de Aptidão Profissional
Título oficial que, mediante avaliação adequada, comprova competências para o exercício de uma actividade profissional obtido por três vias: formação profissional, experiência profissional, equivalência de títulos obtidos noutros países.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Certificado de Formação Profissional
Documento comprovativo de que o seu titular atingiu os objectivos definidos nos programas dos cursos ou acções de formação profissional.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Chanfro
Desbaste adelgaçado efectuado sobre uma peça.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Choque eléctrico
[Electricidade] Contacto de pessoas com partes activas de material eléctrico (contactos directos) ou de massas postas acidentalmente sob tensão (contactos indirectos).
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Chumbo
[Substâncias perigosas] Metal cinzento, mole, que foi usado em canalizações de esgoto e entra na composição de tintas. É um produto tóxico que pode provocar doença profissional e a sua utilização está condicionada por legislação própria.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Ciclópico (Betão)
Betão, em geral usado em fundação ou base de pavimento térreo, em que se introduzem grandes pedras arrumadas à mão.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Cimalha
[Construção] Remate superior de uma fachada, formada por um conjunto de molduras.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Cimento
Mistura pulverulenta de argila e calcário capaz de fazer “presa” em presença de água e que entra na composição do betão. Tem uma relação cáustica sobre a pele, pelo que se impõem medidas de protecção adequadas (luvas).
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Classes de fogos
[Incêndios] Classificação dos fogos segundo o material combustível. Permite definir o agente extintor a utilizar.
Conjunto de edifícios formando uma unidade homogénea.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Classes de materiais
[Incêndios] Classificação segundo o grau de protecção aos contactos eléctricos ou reacção ao fogo.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Classificação em zonas
[Atmosferas explosivas] as áreas perigosas são classificadas em zonas, em função da frequência e da duração da presença de atmosferas explosivas.
Fonte: COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Segurança e saúde dos trabalhadores expostos a atmosfera explosivas: guia de boas práticas.. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto para a Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho, 2006.

»Cobertura
[Construção] Recobrimento estanque da parte superior dos edifícios.
Pode ser plana em laje ou terraço ou inclinada, com telha ou outros materiais.
Esta fase da construção comporta sempre riscos, em especial quedas, pelo que deve ser previamente planificada.
Requerem especiais cuidados os materiais frágeis como fibras, vidro, etc.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Cofragem
[Construção] Molde em madeira, metal ou outro material, fabricado no local ou pré-fabricado, destinado à confecção de peças em betão (vigas, pilares, lajes, etc.)
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Cola
Elemento de ligação de dois ou mais materiais.
Dada a grande diversidade existente e a extraordinária rapidez de acção deve ser sempre previamente consultada a literatura explicativa e os respectivos cuidados de utilização e armazenagem.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Colector
[Canalização destinada à recolha de águas dos vários tubos de escoamento. Nos colectores de águas domésticas negras há o risco de se formarem misturas gasosas explosivas ou que provoquem redução do oxigénio, pelo que o acesso a estas deve ser acompanhado das medidas de segurança recomendáveis.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Coluna húmida
[Incêndios] Tubagem em carga para uso dos bombeiros.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Coluna montante
Canalização principal da qual derivam as ligações individuais para cada andar.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Coluna seca
[Incêndios] Tubagem vazia para uso dos bombeiros.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Comissão de Higiene e Segurança
Órgão de composição paritária, constituída no âmbito de uma empresa, ao abrigo de convenções colectivas de trabalho, para desenvolver a participação no âmbito da prevenção de riscos profissionais.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Comissão de Segurança e Saúde
Comissão integrada pelos representantes dos trabalhadores para as questões de segurança e saúde e por representantes dos empregadores que foi estabelecida e desempenha as suas funções ao nível da organização, em conformidade com a legislação e as práticas nacionais.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Comité Consultivo para a Segurança, Higiene e Protecção da Saúde no Local de Trabalho
O Órgão criado pelo Conselho da União Europeia, de composição tripartida, que visa apoiar a Comissão na preparação e na execução de actividades nos domínios da Segurança, da Higiene e da Protecção da Saúde no Local de Trabalho.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Compactador
[Equipamentos de trabalho] Máquina de estaleiro destinada à compactação de solos plásticos.
Pode tratar-se de uma máquina de transporte manual ou de uma máquina auto-motora. Em geral dispõe de um sistema vibrador que pode originar fortes riscos:
nas máquinas manuais, motivados pela vibração axial mão/braço.
nas auto-motoras, vibração do corpo.

Em todos os casos devem ser observadas rigorosas medidas de prevenção.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Competência
Capacidade específica da profissão que o técnico deve desenvolver para assegurar a eficácia da sua acção. As competências são determinadas a partir dos objectivos de um dado sistema educativo e dos papéis que eles determinam ao técnico e, geralmente, serão avaliadas pelos resultados (imediatos ou a longo prazo) operados na empresa onde trabalha. Cada competência implica um corpo definido de conhecimentos, atitudes ou capacidades expressas em comportamentos observáveis.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Componentes materiais do trabalho
Conjunto cujos elementos são: os locais de trabalho, as ferramentas, as máquinas e materiais, as substâncias e agentes químicos, físicos e biológicos, o ambiente de trabalho, os processos de trabalho e a organização do trabalho.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Comunicação verbal
[Sinalização de segurança e de saúde] É a mensagem verbal predeterminada que utiliza voz, humana ou sintética.
Fonte: Decreto-Lei n.º 141/95, de 14 de Junho [Prescrições mínimas para a sinalização de segurança e de saúde no trabalho]

»Concentração limite de oxigénio
[Atmosferas explosivas] Concentração máxima de oxigénio numa mistura de substância inflamável com o ar na qual não ocorrerá uma explosão, determinada sob condições de ensaio específicas.
Fonte: COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Segurança e saúde dos trabalhadores expostos a atmosfera explosivas: guia de boas práticas. . 1.ª Edição, Lisboa, Instituto para a Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho, 2006.

»Condensador
[Electricidade] Aparelho constituído por condutores separados por um isolante e com a capacidade de armazenar uma carga eléctrica.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Condutor
[Electricidade] Em electricidade refere-se a um corpo que oferece pouca resistência à passagem de uma corrente eléctrica.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Condutor activo
[Electricidade] Designa o condutor normalmente responsável pela passagem da corrente eléctrica.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Condutor de protecção
[Electricidade] Condutor eléctrico que liga as massas de uma instalação a uma ligação de terra ou a outras massas.
A cor que lhe está convencionada é verde-amarelo.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Condutor de terra
[Electricidade] Condutor que liga um ponto de uma instalação a uma tomada de terra.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Congénito
Que existe antes ou no momento do nascimento, em particular as anomalias e doenças, tanto as herdadas como as causadas por factor ambiental. Diferente de hereditário, que se entende como aquilo que é transmitido com as células germinais (óvulo ou espermatozóide).
Fonte: TELO, Emília; CORREIA, Maria Manuela Calado. Prevenção de riscos no período de maternidade: guia de boas práticas.. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto para a Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho, 2006.

»Conselho Nacional de Higiene e Segurança no Trabalho
Órgão tripartido de carácter consultivo, que tem por objectivo a promoção da cooperação do Estado com os parceiros sociais, com vista à formulação, aplicação e avaliação periódica das políticas de prevenção de riscos profissionais e combate à sinistralidade laboral.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Consignação
[Construção] Operação legal pela qual o dono da obra ou o seu representante outorga poderes a uma empresa para dar início aos trabalhos fazendo-lhe a entrega dos meios necessários para a realização desses trabalhos, como projectos, terreno, etc.
Em geral é lavrado um auto e representa a data de início dos trabalhos.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Consola
[Construção] Elemento saliente da construção, em geral na sua periferia.
A sua execução cria, em geral, riscos agravados, pelo que deve ser previamente planeada.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Construção anti-sísmica
[Construção] Construção concebida para limitar o efeito dos sismos.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Construção industrializada
[Construção] Diz-se da que se desenvolve segundo os ritmos e processos comuns às indústrias transformadoras com instalações fixas.
É, em geral, realizada a partir de componentes e desenvolve-se segundo processos repetitivos.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Consulta dos Trabalhadores
Auscultação da opinião dos trabalhadores ou seus representantes, feita pelo empregador, sobre as acções de prevenção.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Consultor
Pessoa singular ou colectiva que desenvolve actividade de análise e aconselhamento em domínios específicos que requerem conhecimentos de especialidade ou meios técnicos de considerável complexidade. Na prevenção, a consultadoria efectua-se, particularmente, nos domínios da avaliação de determinados riscos, da implementação de determinadas técnicas de prevenção, da organização do trabalho e da formação.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Contaminação radioactiva
[Substâncias radioactivas] Contaminação de qualquer matéria, superfície ou ambiente ou de um indivíduo por substâncias radioactivas. No caso específico do corpo humano, esta contaminação radioactiva inclui a contaminação externa cutânea e a contaminação interna, independentemente da via de incorporação
Fonte: Decreto-Lei n.º 174/2002, de 25 de Julho [Regras aplicáveis à intervenção em caso de emergência radiológica]

»Contrato de trabalho por tempo indeterminado para cedência temporária
[Trabalho temporário] O contrato de trabalho por tempo indeterminado celebrado entre uma empresa de trabalho temporário e um trabalhador, pelo qual este se obriga, mediante retribuição daquela, a prestar temporariamente a sua actividade a utilizadores, mantendo o vínculo jurídico-laboral à empresa de trabalho temporário.
Fonte: Lei n.º 19/2007, de 22 de Maio [Regime jurídico do trabalho temporário]

»Contrato de trabalho temporário
[Trabalho temporário] O contrato de trabalho a termo celebrado entre uma empresa de trabalho temporário e um trabalhador, pelo qual este se obriga, mediante retribuição daquela, a prestar temporariamente a sua actividade a utilizadores, mantendo o vínculo jurídico-laboral à empresa de trabalho temporário.
Fonte: Lei n.º 19/2007, de 22 de Maio [Regime jurídico do trabalho temporário]

»Contrato de utilização de trabalho temporário
[Trabalho temporário] O contrato de prestação de serviço a termo resolutivo celebrado entre um utilizador e uma empresa de trabalho temporário, pelo qual esta se obriga, mediante retribuição, a ceder um ou mais trabalhadores temporários.
Fonte: Lei n.º 19/2007, de 22 de Maio [Regime jurídico do trabalho temporário]

»Contraventamento
[Construção] Peça oblíqua destinada a evitar a deformação de uma obra, estrutura ou material. É geralmente obtido por triangulação e particularmente utilizado em andaimes através da cruz de St.º André.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Controlo de perdas
Medidas de prevenção que visam limitar a perda de lucros de uma empresa devida a erros ou acidentes.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Controlo de riscos
Processo que envolve a adopção de medidas técnicas, organizativas, de formação, de informação e outras, tendo em vista a redução dos riscos profissionais e avaliação dessas medidas.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Coordenação dos serviços de prevenção
Função dinamizadora da articulação permanente das diversas abordagens desenvolvidas pelos serviços de prevenção da empresa, sendo de destacar o seu papel no âmbito do estabelecimento dos objectivos, procedimentos e campos de responsabilidade dos diversos intervenientes.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Coordenador de segurança em obra
[Construção] O mesmo que coordenador em matéria de segurança e saúde durante a execução da obra.
Fonte: Decreto-Lei n.º 273/2003, de 29 de Outubro

»Coordenador de segurança em projecto
[Construção] O mesmo que coordenador em matéria de segurança e saúde durante a elaboração do projecto da obra.
Fonte: Decreto-Lei n.º 273/2003, de 29 de Outubro

»Coordenador em matéria de segurança e saúde durante a elaboração do projecto da obra
[Construção] É a pessoa singular ou colectiva que executa, durante a elaboração do projecto, as tarefas de coordenação em matéria de segurança e saúde previstas no Decreto-Lei n.º 273/2003, de 29 de Outubro, podendo também participar na preparação do processo de negociação da empreitada e de outros actos preparatórios da execução da obra, na parte respeitante à segurança e saúde no trabalho. O mesmo que coordenador de segurança em projecto.
Fonte: Decreto-Lei n.º 273/2003, de 29 de Outubro

»Coordenador em matéria de segurança e saúde durante a execução da obra
[Construção] A pessoa singular ou colectiva que executa, durante a realização da obra, as tarefas de coordenação em matéria de segurança e saúde previstas no Decreto-Lei n.º 273/2003, de 29 de Outubro. O mesmo que coordenador de segurança em obra.
Fonte: Decreto-Lei n.º 273/2003, de 29 de Outubro

»Cor de segurança
[Sinalização de segurança e de saúde] É a cor à qual é atribuído um determinado significado.
Fonte: Decreto-Lei n.º 141/95, de 14 de Junho [Prescrições mínimas para a sinalização de segurança e de saúde no trabalho]

»Cornija
[Construção] Moldura composta por uma combinação de elementos simples e que guarnecem a parte superior de uma parede, porta ou frontão.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Corte
[Construção] Força transversal que se exerce sobre um material ou edificação. Peça desenhada representando a parte resultante da intersecção de um plano fictício com um elemento ou construção.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Co-seno (Y)
Indicado pela letra grega y e varia entre 0 e 1 exprimindo a relação cós y = potência activa/potencia aparente.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Cruz de St.º André
[Construção] Elemento de contraventamento em forma de X
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Curso de formação
Programa de formação a ser ministrado com o fim de proporcionar a aquisição de conhecimentos e o desenvolvimento de capacidades práticas, atitudes e formas de comportamento necessários para o exercício de uma profissão ou grupo de profissões.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Curto-circuito
[Electricidade] Contacto acidental de dois terminais de um equipamento eléctrico ou de uma instalação a potenciais diferentes.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

 

Fonte: http://www.act.gov.pt

Votos do utilizador: 0 / 5

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

»Dano (provocado pelo trabalho)
Considera-se dano a lesão corporal, perturbação funcional ou doença que determine redução na capacidade de trabalho ou de ganho ou a morte do trabalhador resultante, directa ou indirectamente, de acidente de trabalho.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Décibel
[Ruído] Unidade de medida da pressão sonora, utilizada para avaliações no campo do ruído. Traduzida pela sigla dB. Trata-se de uma unidade.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Declaração de conformidade CE
Acto pelo qual se declara que uma máquina comercializada na CE respeita todas as exigências essenciais de segurança.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Deontologia
Conjunto de princípios, deveres, obrigações e condições de exercício de uma dada profissão, visando a definição de padrões éticos de comportamento dos respectivos profissionais.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Depurador atmosférico
Equipamento ou dispositivo que permite reduzir ou eliminar a emissão de contaminantes para a atmosfera.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Dermite
[Doenças profissionais] Afecção cutânea originada pelo contacto frequente com produtos como óleo de descofragem, colas, diluentes, etc.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Descarga da explosão
[Atmosferas explosivas] Medida de protecção que limita a pressão de explosão através da descarga da mistura não queimada e dos produtos de combustão pelo accionamento de aberturas previstas para esse efeito, por forma a que o recipiente, o local de trabalho ou o edifício não seja solicitado para além da sua capacidade de resistência à explosão.
Fonte: COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Segurança e saúde dos trabalhadores expostos a atmosfera explosivas: guia de boas práticas. . 1.ª Edição, Lisboa, Instituto para a Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho, 2006.

»Descofragem
[Construção] Operação que consiste na abertura e remoção dos moldes que serviram para fundir peças em betão armado.
A esta operação estão associados riscos específicos, de acordo com o tipo de descofragem utilizado.
Sendo o mais comum a madeira, impõem-se cuidados especiais na sua remoção e armazenamento, bem como nos riscos originados pelos pregos.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Desinfecção
Destruição de microrganismos patogénicos por aplicação de meios químicos ou desinfectantes. Os mais comuns são: permanganato de potássio, fenóis e peróxido de hidrogénio.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Despressurizar
Reduzir a pressão do ar até ao limite da pressão atmosférica.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Detector automático de incêndios
[Incêndios] Dispositivos que, montados adequadamente, captam as manifestações associadas a um fogo (calor, fumos e chama) e as comunicam a uma central.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Detector de chama (para incêndios)
[Incêndios] Detector automático que actua baseando-se nas radiações infra-vermelhas ou ultra-violetas.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Detector de fumos (para incêndios)
[Incêndios] Detector automático que actua baseando-se nas alterações das propriedades do ar como a rarefacção, a transparência ou a ionização produzida por alguns gases.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Detector térmico de incêndios
[Incêndios] Detector automático que actua por acção do calor que se desprende da combustão.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Detonação
Combustão violenta com velocidade de propagação superior à do som e acompanhada por uma onda de choque e calor.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Diferença de potencial
[Electricidade] É a diferença existente entre dois corpos de cargas electricamente distintos, medida em volts; designa-se também por tensão eléctrica.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Diluente
[Substâncias perigosas] Substância incorporada nas tintas e vernizes, com cheiro característico; também designado por solvente.
Tratando-se de um produto inflamável comporta riscos especiais, como os inerentes ao contacto com a pele ou absorção dos vapores. Não deve ser utilizado para limpeza das mãos.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Directiva
Lei europeia que vincula os Estados-membros quanto ao resultado a alcançar, deixando, no entanto, liberdade às instâncias nacionais quanto à forma e aos meios necessários à obtenção dos resultados.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Director técnico da empreitada
[Construção] É o técnico designado pelo adjudicatário da obra pública e aceite pelo dono da obra, nos termos do regime jurídico das empreitadas de obras públicas, para assegurar a direcção técnica da empreitada.
Fonte: Decreto-Lei n.º 273/2003, de 29 de Outubro

»Carga máxima de utilização
[Movimentação de cargas] Carga de utilização afectada do coeficiente de segurança indicado para o aparelho em causa.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Disjuntor
[Electricidade] Aparelho eléctrico de manobra destinado a garantir a interrupção automática de uma corrente eléctrica.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Dispositivos de descarga da explosão
[Atmosferas explosivas] Dispositivos que bloqueiam a abertura de descarga durante o funcionamento normal e a abrem em caso de explosão.
Fonte: COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS.Segurança e saúde dos trabalhadores expostos a atmosfera explosivas: guia de boas práticas.. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto para a Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho, 2006.

»Doença profissional
Doença incluída na Lista das Doenças Profissionais de que esteja afectado um trabalhador que tenha estado exposto ao respectivo risco pela natureza da actividade ou condições, ambiente e técnicas do trabalho habitual.
E ainda, para efeitos de reparação, a lesão corporal, perturbação funcional ou doença não incluída na Lista, desde que se prove ser consequência necessária e directa da actividade exercida e não represente normal desgaste do organismo.
Fonte: Instituto da Segurança Social

»Dolo
Actuação de quem, representando um facto desconforme, age com a intenção de o realizar. É também a actuação de quem, representando a realização de um facto desconforme que é consequência necessária ou possível do seu comportamento, age conformando-se com a realização desse facto. (Artigo 14º do Código Penal).
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Dono da obra
[Construção] É a pessoa singular ou colectiva por conta de quem a obra é realizada, ou o concessionário relativamente a obra executada com base em contrato de concessão de obra pública.
Fonte: Decreto-Lei n.º 273/2003, de 29 de Outubro

»Dose
Quantidade de substância absorvida ou depositada no organismo durante um tempo determinado.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Dosímetro (acústico)
[Equipamentos de medição] Aparelho portátil utilizado para medir a exposição dos trabalhadores ao ruído durante o período de trabalho. Apresenta o resultado em percentagem.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Draga
[Equipamentos de trabalho] Máquina de escavação de terras submersas.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Dragline
[Equipamentos de trabalho] Equipamento de extracção de terras, gravilhas e areias por meio de baldes movidos por cabos. É utilizado nas centrais de betão.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Draguer
[Equipamentos de medição] É uma designação comercial para um aparelho de medição ou amostragem directa permitindo assinalar a existência ou não de um contaminante específico existente no ambiente.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Dreno
Dispositivo de recolha e evacuação de águas, em geral na periferia das obras. Também se pode referir a um hidrófugo betuminoso destinado a opor-se à subida de águas por capilaridade.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Dumper
[Movimentação de cargas] Veículo de movimentação de terras, automotorizado, com uma caixa basculante.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

 

Fonte: http://www.act.gov.pt

Votos do utilizador: 0 / 5

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

»Efeito estroboscópico
Efeito causado pela iluminação fluorescente sobre elementos móveis. Provoca uma visão diferente e enganosa do movimento, dando a ideia de que o movimento é em sentido contrário ou não existe.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Efluentes
Fluidos que após a recolha vão ser encaminhados por condutas.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Emergência
Situação perigosa que requer uma intervenção imediata e urgente para prevenir, obviar ou neutralizar os efeitos sobre as pessoas.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Emergência Radiológica
[Substâncias radioactivas] Situação que requer uma acção urgente a fim de proteger os trabalhadores, membros do público ou uma parte ou a totalidade da população.
Fonte: Decreto-Lei n.º 174/2002, de 25 de Julho [Regras aplicáveis à intervenção em caso de emergência radiológica]

»Emissão contaminante
Lançamento no ar de substâncias contaminantes.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Empena
[Construção] Parede lateral de um edifício, sem aberturas, podendo receber outro edifício encostado. Neste caso devem ser asseguradas medidas que garantam a segurança contra fogo.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Empregador
Pessoa singular ou colectiva com um ou mais trabalhadores ao seu serviço e responsável pela empresa ou pelo estabelecimento ou, quando se trate de organismos sem fins lucrativos, que detenha competências para a contratação de trabalhadores.
[Construção] É a pessoa singular ou colectiva que, no estaleiro, tem trabalhadores ao seu serviço, incluindo trabalhadores temporários ou em cedência ocasional, para executar a totalidade ou parte da obra; pode ser o dono da obra, a entidade executante ou subempreiteiro
Fonte: Lei n.º 102/2009, de 10 de Setembro [Regime Jurídico da promoção da segurança e saúde no trabalho]; Decreto-Lei n.º 273/2003, de 29 de Outubro

»Empresa
Organização que conjuga o capital com o trabalho com o objectivo de produzir bens ou serviços.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Empresa de trabalho temporário
[Trabalho temporário] A pessoa singular ou colectiva cuja actividade consiste na cedência temporária a utilizadores da actividade de trabalhadores que, para esse efeito, admite e retribui.
Fonte: Lei n.º 19/2007, de 22 de Maio [Regime jurídico do trabalho temporário]

»Empresário
Pessoa física ou jurídica que recebe a prestação de serviço de trabalhadores sendo o responsável pela organização da produção e das condições em que é efectuada.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Emulsão
Mistura de líquidos de tal maneira que um se dispersa no outro.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Encravamento
[Segurança no trabalho] Solução técnica destinada a imobilizar um dispositivo e uma máquina sem que se verifiquem condições previamente estabelecidas.
Usa-se em protecção de máquinas e não devem ser retiradas em funcionamento.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Enfermagem do Trabalho
Ramo da enfermagem que colabora na vigilância e controlo do estado de saúde dos trabalhadores.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Ensaio
Operação técnica que consiste em determinar uma ou mais características de um dado produto, processo ou serviço, segundo um modo operativo especificado.
Em todos os casos devem ser observadas rigorosas medidas de prevenção.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Ensaio (solo)
Conjunto de trabalhos destinados a determinar as suas características físicas (resistência à ruptura, à compressão). Podem ser realizados “in situ” e em laboratório.
Fonte: Decreto-Lei n.º 141/95, de 14 de Junho [Prescrições mínimas para a sinalização de segurança e de saúde no trabalho]

»Entidade executante
[Construção] É a pessoa singular ou colectiva que executa a totalidade ou parte da obra, de acordo com o projecto aprovado e as disposições legais ou regulamentares aplicáveis; pode ser simultaneamente o dono da obra, ou outra pessoa autorizada a exercer a actividade de empreiteiro de obras públicas ou de industrial de construção civil, que esteja obrigada mediante contrato de empreitada com aquele a executar a totalidade ou parte da obra
Fonte: Decreto-Lei n.º 273/2003, de 29 de Outubro

»Entivação
[Construção] Escoramento de sustentação provisória de terras em valas ou trincheiras. Devido ao risco de soterramento, devem ser adoptadas rigorosas medidas de segurança.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Equipa de projecto
[Construção] É o conjunto de pessoas reconhecidas como projectistas que intervêm nas definições de projecto da obra.
Fonte: Decreto-Lei n.º 273/2003, de 29 de Outubro

»Equipamento autónomo de respiração
[Segurança no trabalho] Sistema individual que gera o oxigénio necessário ao trabalhador protegendo-lhe as vias respiratórias e permitindo-lhe permanecer num ambiente não oxigenado. Este equipamento é, em geral, transportado pelo próprio.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Equipamento de protecção individual (EPI)
[Segurança no trabalho] É todo o equipamento, bem como qualquer complemento ou acessório, destinado a ser utilizado pelo trabalhador para se proteger dos riscos a que está exposto, para a sua segurança e para a saúde.
Devem ser: cómodos, robustos, leves e adaptáveis.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Equipamento de trabalho
[Equipamentos de trabalho] Qualquer máquina, aparelho, ferramenta ou instalação utilizado no trabalho.
Fonte: Decreto-Lei nº 50/2005, de 25 de Fevereiro de 2005

»Ergometria
Área de estudo que mede ou avalia a quantidade de trabalho realizado por uma pessoa e o consumo de energia necessário para o levar a cabo.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Ergonomia
É, segundo a definição oficial adoptada pela Associação Internacional de Ergonomia em 2000, a disciplina científica que tem por objectivo as interacções entre os homens e os outros elementos de um sistema e a profissão que aplica a teoria, os princípios, os dados e os métodos na concepção, de modo a optimizar o bem-estar humano e o desempenho geral do sistema.
Fonte: Associação Internacional de Ergonomia

»Escada
[Equipamentos de trabalho] Equipamento usado nas construções. Utensílio de madeira ou metal formado por dois prumos longitudinais a e que são fixados degraus paralelos, espaçados regularmente. São utilizadas no acesso a postos de trabalho em altura.
A sua utilização requer medidas de segurança apropriadas, nomeadamente no afastamento relativamente à altura no ponto a atingir, na garantia de que os apoios são antiderrapantes e no cumprimento de ultrapassagem do ponto de encosto ou espera.
Devem ser bem iluminadas e protegidas.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Escadote
[Equipamentos de trabalho] Escada móvel que dispõe de duas pernas de apoio, não carecendo de ser encostada às paredes.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Escarificador
[Equipamentos de trabalho] Equipamento constituído por um suporte e um ou vários dentes de aço que serve para remover o terreno duro. Geralmente é acoplado à retaguarda de uma máquina “bulldozer”.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Escavação
[Construção] Movimentação de terras, com remoção das mesmas, podendo ser levada a cabo ao nível do plano de trabalhos ou em profundidade.
Estes trabalhos comportam graves riscos, devido a desprendimentos intempestivos de terras, pelo que devem obedecer a criteriosas medidas de planificação e supervisão na área da segurança de pessoas e bens.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Escavadora
[Equipamentos de trabalho] Máquina de terraplanagem provida de uma pá ou “colher” no extremo do braço articulado. Serve para abrir valas.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Escavadora-carregadora
[Equipamentos de trabalho] Máquina de terraplanagem mista que escava e carrega materiais.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Escora
[Construção] Elemento de madeira, metal ou betão que assegura o distanciamento regular das estruturas.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Escoramento
[Construção] Acto de sustentar, ou de reforçar, por intermédio de escoras, uma carga. Designação dada também ao conjunto de escoras.
A utilização de escoramentos, quer na execução de elementos de betão armado ou pré-esforçado, bem como em demolições e outros trabalhos, comporta no geral elevados riscos devido à energia potencial que estes elementos sustentam. Devem, pois, ser atendidas rigorosas normas de segurança e os trabalhadores serem supervisionados por um técnico competente.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Esforços
Efeitos estáticos das forças, traduzindo-se em deformações, que podem ser de:

  • alongamento
  • corte
  • flexão
  • torção

Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Esgotos
Efluentes constituídos pelas águas negras domésticas ou industriais.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Especificação
Conjunto de requisitos que deve integrar um determinado produto, processo ou sistema.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Especificação técnica
Documento que especifica requisitos técnicos a que deve satisfazer um produto, um processo ou um serviço.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Espiar
[Construção] Estabilizar uma estrutura em elevação, com vários cabos (espias) amarrados ao solo.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Espirómetro
[Equipamentos de medição] Aparelho que mede a quantidade de oxigénio respirado por uma pessoa durante um tempo determinado.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Espuma extintora
[Incêndios] Agente extintor formado por soluções aquosas produzindo gás e que actuam sobre o fogo por abafamento e/ou arrefecimento deste.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Espuma física
[Incêndios] Agente extintor formado por mistura de espumífero com água.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Espuma química
[Incêndios] Agente extintor formado pela mistura de solução ácida com básica, produzindo dióxido de carbono.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Estabilização
[Construção] Acção de impedir por um meio técnico a queda de uma estrutura em elevação (em particular em taipais).
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Estaleiro
[Construção] O mesmo que estaleiro temporário ou móvel
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Estaleiro temporário ou móvel
[Construção] É o local onde se efectuam trabalhos de construção de edifícios ou trabalhos de:

  • Escavação;
  • Terraplenagem;
  • Construção, ampliação, alteração, reparação, restauro, conservação e limpeza de edifícios;
  • Montagem e desmontagem de elementos prefabricados, andaimes, gruas e outros aparelhos elevatórios;
  • Demolição;
  • Construção, manutenção, conservação e alteração de vias de comunicação rodoviárias, ferroviárias e aeroportuárias e suas infra-estruturas, de obras fluviais ou marítimas, túneis e obras de arte, barragens, silos e chaminés industriais;
  • Trabalhos especializados no domínio da água, tais como sistemas de irrigação, de drenagem e de abastecimento de águas e de águas residuais, bem como redes de saneamento básico;
  • Intervenções nas infra-estruturas de transporte e distribuição de electricidade, gás e telecomunicações;
  • Montagem e desmontagem de instalações técnicas e de equipamentos diversos;
  • Isolamentos e impermeabilizações.

É também o local onde, durante a obra, se desenvolvem actividades de apoio directo a estes trabalhos.
Fonte: Decreto-Lei n.º 273/2003, de 29 de Outubro

»Estanque
Que não permite a passagem de um fluído. A estanquicidade é, em geral, objecto de ensaio durante a obra, o que pode determinar medidas de segurança especiais.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Estatística de acidentes
Sistema de recolha de dados da sinistralidade e posterior tratamento, permitindo uma actuação de modo a controlar os riscos.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Estribo
[Construção] Peças em varão de aço que ligam transversalmente as armaduras do betão dando estabilidade ao conjunto e absorvendo os esforços transversos.
Também se designa o contra forte de descarga de arcobotante.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Estrobo
[Movimentação de cargas] Cabo utilizado para construir uma lingada, destinado à movimentação de materiais com auxílio de equipamento mecânico.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Etiquetagem
Rótulo contendo a designação dos produtos, bem como um conjunto de símbolos, fórmulas e informações acerca dos seus riscos e do modo como devem ser armazenados ou utilizados.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Evacuação
Saída rápida de pessoas de um edifício ou instalação devido a situação de emergência.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Exames
Operações de verificação sobre materiais, máquinas e instalações utilizadas em obra, de modo a garantir que todos os seus componentes se encontram em condições de operar com segurança.
Esta verificação deve ser efectuada periodicamente, após qualquer falha, desmontagem ou modificação.
Deve ser efectuada por pessoa competente nomeada pelo responsável pelo estaleiro e deverá ser lavrado registo da mesma.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Explosão
[Atmosferas explosivas] Oxidação abrupta ou reacção de decomposição que produz uma subida da temperatura, pressão, ou ambas simultaneamente.
Fonte: COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Segurança e saúde dos trabalhadores expostos a atmosfera explosivas: guia de boas práticas. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto para a Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho, 2006.

»Explosivos
[Substâncias perigosas] Substâncias químicas instáveis capazes de libertar energia e de produzir uma fragmentação.
O seu manuseamento e armazenagem requerem cuidados especiais, pelo que só devem ser feitos por pessoal especializado.
Os mais utilizados são pólvora, nitroglicerina, gelamonite e lamas explosivas.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Exposição pessoal diária ao ruído
[Ruído no local de trabalho] De acordo com o actual diploma legal que regula a exposição ao ruído durante o trabalho (Decreto-Lei n.º 182/2006, de 6 de Setembro) e que transpôs para o direito nacional a Directiva n.º 2003/10/CE, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 6 de Fevereiro, a «exposição pessoal diária ao ruído», LEX,8h, consiste no nível sonoro contínuo equivalente, ponderado A, calculado para um período normal de trabalho diário de oito horas (T0), que abrange todos os ruídos presentes no local de trabalho, incluindo o ruído impulsivo, expresso em dB (A). É dado pela seguinte expressão:
Imagem
em que:
Imagem
em que:
Te é a duração diária da exposição pessoal de um trabalhador ao ruído durante o trabalho;
T0 é a duração de referência de oito horas (28 800 segundos);
pA(t) é a pressão sonora instantânea ponderada A, expressa em pascal (Pa), a que está exposto um trabalhador;
po é a pressão de referência Po = 2x10-5 pascal = 20 oPa.
Fonte: Decreto-Lei n.º 182/2006, de 6 de Setembro

»Exposição pessoal diária efectiva
[Ruído no local de trabalho] De acordo com o actual diploma legal que regula a exposição ao ruído durante o trabalho (Decreto-Lei n.º 182/2006, de 6 de Setembro) e que transpôs para o direito nacional a Directiva n.º 2003/10/CE, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 6 de Fevereiro, a «exposição pessoal diária efectiva», LEX,8h,efect, consiste na exposição pessoal diária ao ruído tendo em conta a atenuação proporcionada pelos protectores auditivos, expressa em dB(A), calculada pela expressão:
Imagem
em que:
Tk é o tempo de exposição ao ruído k;
LAeq,Tk,efect é o nível sonoro contínuo equivalente a que fica exposto o trabalhador equipado com protectores auditivos.
Fonte: Decreto-Lei n.º 182/2006, de 6 de Setembro

»Extracção
Operação destinada a retirar partículas contaminantes ou o gás existente no recinto.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Extracção forçada
Quando se utilizam meios mecânicos para fazer a extracção.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

Fonte: http://www.act.gov.pt

Votos do utilizador: 0 / 5

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
»Fachada
[Construção] Plano vertical do edifício, visto do exterior e normal a uma das suas superfícies.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Fadiga
Estado fisiológico do ser humano caracterizado pela perda de capacidade física e mental e uma sensação de mal-estar devido à realização de esforços que, pela sua intensidade ou pela duração, se situam no limite das capacidades do organismo.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Ferro
Ver aço, aço duro e aço macio.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Fetotóxico
Agente tóxico para o feto.
Fonte: TELO, Emília; CORREIA, Maria Manuela Calado. Prevenção de riscos no período de maternidade: guia de boas práticas. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto para a Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho, 2006.


»Fiabilidade
A probabilidade de um sistema desempenhar uma determinada função ou missão em determinadas condições durante um período de tempo especificado.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho


»Fibras
Partículas aciculares cujo comprimento é aproximadamente igual a cinco vezes o seu diâmetro.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Filtro
Elemento constituinte de um equipamento de protecção individual, destinado à retenção de partículas ou gases.
Fonte: Decreto-Lei n.º 441/91, de 14 de Novembro [Lei Quadro da Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho]; Decreto-Lei n.º 273/2003, de 29 de Outubro


»Filtro mecânico
Filtro que actua por retenção mecânica, destinado a poeiras, partículas ou fibras. Classificam-se segundo a capacidade de retenção em A 98%; B 95% e C 90%.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Filtro misto
Filtro que combina um equipamento mecânico com um químico.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Filtro químico
Filtro que actua por acção de elementos reactivos e catalizadores, (geralmente encerrados num cartucho ou cápsula) que retêm os gases e vapores nocivos. Classificam-se segundo o tipo de contaminante a que se destinam em:
A – Vapores orgânicos – castanho
B – Gases ácidos – cinzento
C – Anidrido sulfuroso – amarelo
X – Amoníaco – verde
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Finos
Granulados compostos de elementos de pequenas dimensões utilizados como carga para aumentar a capacidade de alguns ligantes hidráulicos.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Fiscal da obra
[Construção] É a pessoa singular ou colectiva que exerce, por conta do dono da obra, a fiscalização da execução da obra, de acordo com o projecto aprovado, bem como do cumprimento das disposições legais e regulamentares aplicáveis; se a fiscalização for assegurada por dois ou mais representantes, o dono da obra designará um deles para chefiar.
Fonte: Decreto-Lei n.º 273/2003, de 29 de Outubro


»Fisiologia do Trabalho
Estudo das condições e dos efeitos biológicos associados ao trabalho humano.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho


»Flecha
Medida de distância que vai da horizontal até ao ponto de deformação máxima do elemento em estudo.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Flexão
Deformação elástica sob o efeito de uma força.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Fluído
Substância, matéria ou corpo que, devido à fraca coesão das moléculas, tem a propriedade de se adaptar ao recipiente onde está contido. Pode apresentar-se sob a forma líquida, gasosa ou de vapor.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Fluxo luminoso
[Iluminação] Quantidade de luz emitida por uma fonte luminosa na unidade de tempo. Mede-se em lúmen (lm).
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Fluxo radiante
[Iluminação] Energia emitida por uma fonte radiante na unidade de tempo. Mede-se em W/m2.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Foco contaminador
Ponto ou instalação emissora do contaminante no meio ambiente.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Fogo
[Incêndios] Fenómeno que se produz quando se aplica calor a uma substância combustível em presença do ar, elevando a sua temperatura com produção de fumos. Classificam-se, segundo o combustível, em classes, A, B, C e D.
Classe A – Fogo de matérias sólidas
Classe B – Fogo de matérias líquidas
Classe C – Fogo de matérias gasosas
Classe D – Fogos de metais e outros
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Fonte de ignição
[Atmosferas explosivas] Uma fonte de ignição transmite a uma mistura explosiva uma determinada quantidade de energia, susceptível de propagar a ignição nessa mistura.
Fonte: COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Segurança e saúde dos trabalhadores expostos a atmosfera explosivas: guia de boas práticas. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto para a Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho, 2006.


»Fonte de ignição efectiva
[Atmosferas explosivas] Os efeitos das fontes de ignição são frequentemente subestimados ou desconhecidos. A sua efectividade, ou seja, a capacidade de provocarem a ignição de uma atmosfera explosiva depende, entre outros factores, da energia da fonte de ignição e das características da atmosfera explosiva. Em condições não atmosféricas, as propriedades da mistura explosiva que determinam a ignição alteram-se; assim, por exemplo, a energia de ignição mínima de misturas com elevado teor de oxigénio é reduzida em várias potências de 10.
Fonte: COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Segurança e saúde dos trabalhadores expostos a atmosfera explosivas: guia de boas práticas. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto para a Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho, 2006.


»Fonte de ruído
[Ruído] É a acção, actividade permanente ou temporária, equipamento, estrutura ou infra-estrutura que produza ruído nocivo ou incomodativo para quem habite ou permaneça em locais onde se faça sentir o seu efeito.
Fonte: : Decreto-Lei n.º 9/2007, de 17 de Janeiro [Regulamento Geral do Ruído]

»Fontes de radiação naturais
Força que faz mover os electrões, produzida por geradores, alternadores ou por reacção química através de pilhas ou bateria.
Fonte: Decreto-Lei n.º 174/2002, de 25 de Julho [Regras aplicáveis à intervenção em caso de emergência radiológica]

»Força electromotriz
Força que faz mover os electrões, produzida por geradores, alternadores ou por reacção química através de pilhas ou bateria.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Formação em segurança
Processo pedagógico destinado a actuar sobre o factor humano a fim de modificar a atitude do trabalhador perante as situações de risco, fornecendo-lhe conhecimentos que lhe permitam identificá-los e reagir.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Formação em segurança e saúde do trabalho
Processo estruturado de transmissão de conhecimento e de estratégias de organização e acção, visando a criação de competências e a interiorização de comportamentos geradores de gestos preventivos face aos riscos profissionais.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho


»Frequência
Número de períodos por segundo. A unidade de medida é o (Hz) hertz.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Frequência acústica
[Ruído] Número de vezes que um som adquire o mesmo valor na unidade de tempo. Expressa-se em ciclos por segundo e mede-se em (Hz).
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Fumigar
Desinfectar por meio de gás, vapor ou fumos. Esta operação contém elevado risco e deve ser executada sob direcção de técnico responsável.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Fundação
[Construção] Elemento de construção destinado a repartir uniformemente as cargas originadas pela futura obra, de acordo com o cálculo efectuado, de modo a que o solo as suporte.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Fundação Europeia para a Melhoria das Condições de Vida e de Trabalho
Órgão criado pelo Conselho das Comunidades Europeias que visa promover a melhoria da qualidade de vida, nomeadamente, através de estudos e outras abordagens sobre a influência da evolução da técnica, a organização do trabalho, a participação dos trabalhadores e os efeitos físicos e psicológicos do trabalho.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho


»Fundações directas
[Construção] São as fundações em que as cargas são directamente transmitidas ao solo através de elementos como vigas de fundação, ensoleiramentos, sapatas. Utilizam-se em solos com boa coesão e capacidade de carga.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Fundações indirectas
[Construção] São próprias dos solos em que não há boa coesão e têm dificuldade em suportar a carga prevista, pelo que se vai procurar camadas mais profundas através de estacas, etc.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Fungicidas
[Substâncias perigosas] Produtos químicos empregados para combater os fungos. Tem aplicação no sector sanitário industrial. Têm risco e devem ser observadas as medidas de segurança explicitadas na rotulagem.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Fusível
[Electricidade] Aparelho eléctrico destinado a cortar um circuito quando há sobrecarga.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

Fonte: http://www.act.gov.pt

Votos do utilizador: 0 / 5

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

»Galeria
[Construção] Escavação subterrânea horizontal ou inclinada que estabelece a ligação entre os poços de uma mina. Pode ser realizada por meio de explosivos ou por meio de equipamentos mecânicos, assim como pode permitir o desmonte da totalidade da secção ou parte desta.
De acordo com o método utilizado e o equipamento, prefiguram-se riscos próprios que são, em geral, de elevada gravidade, devendo ser objecto de estudo e serem supervisionados por um técnico competente.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Gancho
[Movimentação de cargas] Peça metálica curva que serve para prender a carga aos meios de suspensão. Deve-se atender ao valor da carga e nunca utilizar ganchos abertos sem freio.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Gás
Estado em que se apresentam alguns corpos, nas condições de pressão e temperaturas normais, em que as moléculas que os compõem têm uma fraca coesão, permitindo-lhes moverem-se livremente em todas as direcções.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Gás inerte
Gás que não entra em reacção com outros.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Gasto energético
Calorias consumidas por uma pessoa num tempo determinado. Permite o cálculo do grau de fadiga do trabalhador, bem como a duração da actividade que requer tal esforço.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Gerador
Fonte produtora de uma força electromotriz.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Gestão de riscos
Aplicação sistemática de estratégias, procedimentos e práticas, tendo em vista a identificação dos perigos, a análise e a valoração dos riscos.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho


»Golpe de calor
[Ambiente térmico] Efeito provocado pelo excesso de energia recebida sem que o corpo humano tenha conseguido dissipá-la. Produz-se uma paragem brusca da sudação com consequente aumento da temperatura interna, podendo levar à morte.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Gousset
Elemento de ligação de um nó em estruturas metálicas ou de madeira. É geralmente utilizado em asnas.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Grande empresa
Empresa com mais de 200 trabalhadores.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho


»Granulado
Material sob a apresentação de grânulos em que se incluem cortiças, areias, pedras e gravilhas.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Grau de dispersão
[Atmosferas explosivas] O grau de dispersão mede a repartição (mais fina) de uma substância sólida ou líquida (fase dispersa) noutra substância líquida ou gasosa (meio de dispersão) sem ligação molecular, como aerossol, emulsão, colóide ou suspensão.
Fonte: COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Segurança e saúde dos trabalhadores expostos a atmosfera explosivas: guia de boas práticas. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto para a Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho, 2006.


»Grisu
Gás metano mais ou menos puro que emana das minas de carvão.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Grua-torre
[Equipamentos de trabalho] Aparelho de elevação composto de uma base, fixa ou móvel sobre carris, de um fuste e de uma lança, suportando uma flecha, uma contra-flecha e um contra-peso.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Grupo de explosão
[Atmosferas explosivas] Em função da respectiva folga máxima de segurança (capacidade de propagação da chama de uma explosão através de um interstício de comprimento pré-definido, determinado num aparelho de teste) e energia de ignição mínima (energia eléctrica suficiente para produzir ignição numa aparelho de teste), os gases e os vapores são classificados em três grupos (II A, II B, II C, sendo o II C o grupo com a menor folga máxima de segurança).
Fonte: COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Segurança e saúde dos trabalhadores expostos a atmosfera explosivas: guia de boas práticas. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto para a Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho, 2006.


»Grupo económico
[Electricidade] Equipamento que compreende um motor e um gerador rotativo que fornece, em regime contínuo, uma potência eléctrica.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho


»Grupo electrógénio de potência
[Iluminação] Quantidade de luz emitida por uma fonte luminosa na unidade de tempo. Mede-se em lúmen (lm).
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Guarda
Elemento físico de segurança destinado a proteger um espaço; grade; tapume. Elemento humano que controla uma obra ou uma área desta, no tocante aos acessos e à aplicação das medidas regulamentares.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Guarda-cabeças
Peça de madeira que se coloca de canto no bordo exterior do piso e que serve para impedir a queda de materiais e de utensílios a partir da plataforma de trabalho.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Guarda-corpos
[Segurança no trabalho] Elemento de protecção colectiva utilizado na periferia das lajes, coberturas, plataformas, andaimes, passerelles e acessos, bem como na protecção de aberturas. Devem ser constituídos por um montante vertical que suporta um elemento horizontal a 0,90m e um intermédio a 0,45m. Na base deve existir uma régua que se designa por guarda cabeças.
A constituição destes elementos deve ser executada de modo a que resistam ao peso de um trabalhador e não serem confundidas com barras e bandas de sinalização.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

Fonte: http://www.act.gov.pt