Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

»Macho-fêmea
Ligação utilizada nas carpintarias, em que um elemento tem um desenvolvimento em forma de espigão que encaixa noutro com rebaixo.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Maciço
[Construção] Elemento de betão ou alvenaria destinado a suportar cargas. Usa-se também para designar o tijolo sem furação.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Madeira
[Construção] Termo utilizado para qualificar o material de que são constituídos os prumos dos andaimes tradicionais, os soalhos, os materiais de entivação.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Madeiramento
[Construção] Conjunto de elementos em madeira, que formam a estrutura de um pavimento, telhado, etc.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Madre
[Construção] Elemento ou vigota que, na estrutura de uma cobertura, repousa nas pernas da asna.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Malhete
Designação dada a uma ligação de madeira, de modo a conferir-lhe resistência, com a forma de causa de andorinha.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Manilha
Tubo usado em canalização, em geral de grés cerâmico, vidrado no interior ou em betão, com uma gola de ligação num dos extremos.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Manipular
Acção que se efectua com a ajuda das mãos.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Manómetro
[Equipamentos de medição] Aparelho destinado a medir a pressão. A colocação destes, bem como o tipo de escala, deve obedecer a estudo ergonómico do posto de trabalho.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Manorredutor
Aparelho que permite controlar a saída de um fluído de um recipiente. Como medida de segurança, deve estar provido de uma válvula de segurança que permita a saída do fluído em caso de sobrepressão.
Estes equipamentos são utilizados nas botijas de acetileno ou hidrogénio para soldadura. Requerem medidas de segurança na sua correcta utilização.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Mansarda
[Construção] Telhado destinado ao aproveitamento dos sótãos, formado por duas águas.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Manual de prevenção
Documento que estabelece a política de prevenção e descreve o sistema de gestão da prevenção de riscos profissionais da empresa.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho


»Manutenção
Conjunto de acções organizadas destinadas a garantir o estado de conservação das estruturas, revestimentos, instalações e outros componentes de um sistema. Sinónimo de movimentação manual de cargas na terminologia francesa.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Manutenção preventiva
Manutenção que consiste em realizar determinadas operações periódicas, incluindo a substituição de componentes ou peças, segundo determinados critérios pré-fixados para reduzir a probabilidade de avaria ou perda de rendimento de um bem (máquina, equipamento, etc.).
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho


»Máquina
Conjunto de peças ou de órgãos ligados entre si, em que pelo menos um deles é móvel e, se for caso disso, de accionadores, de circuitos de comando e de potência, etc., reunidos de forma solidária com vista a uma aplicação definida, nomeadamente para a transformação, o tratamento, a deslocação e o acondicionamento de um material. Considera-se igualmente como “máquina” um conjunto de máquinas que, para a obtenção de um mesmo resultado, estão dispostas e são comandadas de modo a serem solidárias no seu funcionamento.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho


»Marcenaria
Oficina onde se fabricam móveis de madeira ou trabalho desta especialidade.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Martelo
[Equipamentos de trabalho] Ferramenta de aço com cabo destinado a percutir.
Equipamento de funcionamento pneumático ou eléctrico, destinado a perfurar ou a partir pedra. A utilização destes equipamentos comporta riscos elevados, principalmente originados pelas vibrações e ruído.
A aplicação de medidas de segurança reduz esse risco, pelo que é imperioso consultá-las.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Máscara
[Segurança no trabalho] Equipamento de protecção individual, adaptado à face e que cobre as vias respiratórias. O seu uso destina-se a proteger os trabalhadores que tenham de permanecer em ambientes contaminados ou que laborem com substâncias irritantes.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Massa
Grandeza física que mede a inércia de um corpo; a unidade de massa é o Kg.
Estado em que se pode apresentar um corpo com características pastosas e uniformes.
Peça metálica de um equipamento eléctrico normalmente isolada das partes sob tensão e susceptível de ser colocada em circuito por falha.
Devem ser observadas medidas de segurança que visam ligá-las à terra.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Matéria em suspensão
Matéria pulverulenta de reduzidas dimensões e que permanece no ar, sendo por isso respirada.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Matéria sedimentar
Matéria sólida dispersa no ar, mas que devido à sua dimensão e peso tende a cair.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Material estável ao fogo
[Incêndios] Material cuja resistência mecânica face ao fogo durante “n” minutos é capaz de garantir a estabilidade da construção.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Matéria-Prima
Produto susceptível de ser transformado ao longo do processo produtivo.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho, 1996


»Média Empresa
[Movimentação de cargas] Elemento de ligação entre a carga e o aparelho elevatório.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho, 1996


»Média semanal dos valores diários da exposição pessoal ao ruído
[Ruído no local de trabalho] De acordo com o actual diploma legal que regula a exposição ao ruído durante o trabalho (Decreto-Lei n.º 182/2006, de 6 de Setembro) e que transpôs para o direito nacional a Directiva n.º 2003/10/CE, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 6 de Fevereiro, a «média semanal dos valores diários da exposição pessoal ao ruído» , correspondendo à média dos valores de exposição diários, com uma duração de referência de quarenta horas, é calculada através da expressão:
Imagem
em que (LEX,8h)k representa os valores de LEX,8h para cada um dos m dias de trabalho da semana considerada.
Fonte: Decreto-Lei n.º 182/2006, de 6 de Setembro


»Medicina do Trabalho
Especialidade da medicina cujo objectivo é a vigilância e o controlo do estado de saúde dos trabalhadores.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho, 1996


»Medida de prevenção activa
Medida de prevenção de riscos profissionais que assenta no comportamento dos trabalhadores.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho


»Medida de prevenção passiva
Medida de prevenção de riscos profissionais que assenta em alterações das componentes materiais do trabalho.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho


»Medida preventiva
Acção prática destinada a eliminar o risco ou limitar as suas consequências.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Medidas de prevenção de riscos
Conjunto de acções de ordem construtiva, técnica ou organizacional que têm como objectivo evitar ou minimizar os riscos profissionais, ou seja proteger os trabalhadores na sua integridade física e moral. Como medidas de prevenção mais vulgarmente utilizadas destacam-se a sinalização de segurança e os equipamentos de protecção colectiva e individual, bem como as acções de formação e sensibilização dos trabalhadores.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho


»Meios de suspensão
[Movimentação de cargas] Acessórios de elevação situados entre o gancho do aparelho elevatório e a carga, tais como: lingas de cabos; lingas de correntes; lingas de estrado; lingas de cordas; lingas de barras de corda.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Mestre-de-obras
[Construção] Pessoa que dirige os trabalhos de construção civil. Pequeno empresário do ramo da construção civil.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Metabolismo
Acção complexa do tipo químico, biológico e físico que se produz no organismo humano, destinada a manter e renovar a matéria viva.
É função da actividade e através da variação da temperatura do corpo obtém-se um bom indicador do seu estado.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Metabolismo basal
Energia gerada pelo organismo em repouso, destinada a manter as funções vitais.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Metabolismo do trabalho
Energia gerada pelo organismo e gasta na actividade laboral.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Método de Fanger
[Ambiente térmico] Método de avaliação do conforto térmico.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Método de Heinrich
Método de avaliação do custo económico dos acidentes de trabalho.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Método de Max Gretener
Sistema de avaliação do risco de incêndios e da segurança contra incêndios.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Método WBGT
[Ambiente térmico] Método de avaliação do stress térmico que não se revista de intensa agressão e para exposição larga.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Metrologia
[Equipamentos de medição] Aparelho destinado a fazer a leitura directa da intensidade luminosa, em LUX.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho


»Microondas
Radiação ionizante de baixo poder energético no espectro electromagnético.
A utilização desta radiação comporta riscos para o globo ocular; sobre a matéria biológica os efeitos são de ordem térmica, podendo afectar o sistema circulatório e glandular.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Missão
[Consiste numa proposta com um certo carácter filosófico e de âmbito geral que pretende apontar “uma razão de ser” para a Organização, conduzindo à existência de um conjunto de actividades e de fins de ordem económica, social, ética e política.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho


»Mistura explosiva
[Atmosferas explosivas] Mistura de um material combustível finamente disperso na fase gasosa com um oxidante gasoso, na qual se pode propagar uma explosão após ignição. Se o oxidante for o ar em condições atmosféricas, fala-se de uma atmosfera explosiva.
Fonte: : COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Segurança e saúde dos trabalhadores expostos a atmosfera explosivas: guia de boas práticas. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto para a Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho, 2006.


»Mistura híbrida
[Atmosferas explosivas] Mistura de substâncias inflamáveis com o ar, em diferentes estados físicos. Por exemplo, misturas de metano e poeira de carvão com o ar.
Fonte: COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Segurança e saúde dos trabalhadores expostos a atmosfera explosivas: guia de boas práticas. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto para a Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho, 2006.


»Misturador
[Equipamentos de trabalho] Aparelho que serve para misturar materiais. A sua utilização deve obedecer a medidas de segurança e a sua concepção deve atender às medidas de segurança propostas para máquinas.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Momento de uma força
Produto da intensidade desta pela distância ao seu ponto de aplicação.
M = P x D
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Monofásico
[Electricidade] Rede de distribuição dispondo de uma só fase, por oposição aos polifásicos.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Monta-cargas
[Equipamentos de trabalho] Aparelho de elevação, formado por uma cabine que se desloca ao longo de guias verticais. A sua segurança obedece às normas próprias para elevadores e monta-cargas. Também se designam pelo mesmo nome os elevadores de materiais em obra, se bem que não obedecem a esta norma. Devem, contudo, estar construídos segundo critérios de segurança, bem como os seus acessos devem dispor de protecção e portas com encravamento de segurança, além da sinalização de segurança adequada.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Montagem em estrela
Modo de ligação de um motor eléctrico ou transformador.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Montagem em triângulo
Modo de ligação de um motor eléctrico ou transformador.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Motocompactador
Máquina de obra de construção, pesada, de rodas pneumáticas diversas ou de cilindro, que serve para comprimir as camadas de terra.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Motoniveladora
[Equipamentos de trabalho] Máquina de terraplanagem que serve para aplanar terrenos.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Motoscraper
[Equipamentos de trabalho] Máquina de terraplanagem e de transporte de grande capacidade que realiza trabalhos na nivelação de fraca espessura mas de forma contínua.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Movimentação manual de cargas
[Movimentação de cargas] É qualquer operação de transporte e sustentação de uma carga, por um ou mais trabalhadores, que devido às suas características ou condições ergonómicas desfavoráveis, comportem riscos para os mesmos, nomeadamente na região dorso-lombar.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Movimentos repetitivos
Movimentos que, executados durante mais de duas horas por dia ou mais de uma hora sem interrupção, solicitam a acção, mais ou menos intensa, dos mesmos músculos.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho


»Mutagénico
Agente físico ou químico capaz de provocar mutações a uma frequência superior à das mutações espontâneas.
Fonte: TELO, Emília; CORREIA, Maria Manuela Calado. Prevenção de riscos no período de maternidade: guia de boas práticas. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto para a Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho, 2006.

Fonte: http://www.act.gov.pt

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

»Nembo
Zona maciça de alvenaria entre dois vãos de porta ou janela.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Nervura
Elementos estruturais das lajes que permitem torná-las mais leves.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Neve carbónica
[Incêndios] Designação corrente do anídrico carbónico sólido após utilização como agente extintor.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Nível da pressão sonora de pico
[Ruído no local de trabalho] De acordo com o actual diploma legal que regula a exposição ao ruído durante o trabalho (Decreto-Lei n.º 182/2006, de 6 de Setembro) e que transpôs para o direito nacional a Directiva n.º 2003/10/CE, do Parlamento Europeu e do Conselho, de 6 de Fevereiro, o «nível de pressão sonora de pico», LCpico, corresponde ao valor máximo da pressão sonora instantânea, ponderado C, expresso em dB (C), dado pela expressão:

Expressão

 

 


em que pCpico é o valor máximo da pressão sonora instantânea a que o trabalhador está exposto, ponderado C, expresso em pascal..
Fonte: Decreto-Lei n.º 182/2006, de 6 de Setembro

»Nível de acção
É o valor a partir do qual se impõe tomada de medidas de vigilância ou de actuação quando um trabalhador está exposto a contaminantes físicos, químicos ou biológicos.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Nível de iluminação
[Iluminação] Valor médio que uma fonte luminosa proporciona num ponto. Mede-se em LUX.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Nível de pressão sonora
[Ruído] Valor médio de uma fonte produtora de ruído avaliado num ponto. Mede-se em Decibel (dB).
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Nível freático
É a profundidade a que se encontra a superfície do lençol de água subterrânea.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Nível sonoro contínuo equivalente
[Ruído no local de trabalho] De acordo com o actual diploma legal que regula a exposição ao ruído durante o trabalho (Decreto-Lei n.º 182/2006, de 6 de Setembro) e que transpôs para o direito nacional a Directiva n.º 2003/10/CE, o «nível sonoro contínuo equivalente», LAeq.T, ponderado A de um ruído num intervalo de tempo T, é o nível sonoro, expresso em dB (A), obtido pela expressão:
em que:

T é o tempo de exposição de um trabalhador ao ruído no trabalho T = t2 – t1;
pA(t) é a pressão sonora instantânea ponderada A, expressa em pascal, a que está exposto um trabalhador
Fonte: Decreto-Lei n.º 182/2006, de 6 de Setembro


»Nível sonoro ponderado A
[Ruído no local de trabalho] De acordo com o actual diploma legal que regula a exposição ao ruído durante o trabalho (Decreto-Lei n.º 182/2006, de 6 de Setembro) e que transpôs para o direito nacional a Directiva n.º 2003/10/CE, o «nível sonoro ponderado A», LpA, corresponde ao nível da pressão sonora, em dB (A), ponderado de acordo com a curva de resposta normalizada, sendo dado pela expressão:
em que:

Expressão


po é a pressão de referência po = 2 x 10-5 pascal = 20 oPa
pA é o valor eficaz da pressão sonora ponderada A, expresso em pascal, a que está exposto um trabalhador.
Fonte: Decreto-Lei n.º 182/2006, de 6 de Setembro



»
Ligação entre duas peças; parte densa de madeira onde existiu um ramo; ponto onde se cruzam 2 ou mais elementos de uma estrutura.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Nónio
Ligação entre duas peças; parte densa de madeira onde existiu um ramo; ponto onde se cruzam 2 ou mais elementos de uma estrutura.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Norma
Especificação técnica aprovada por um Organismo reconhecido, com actividade normativa, para aplicação repetida ou contínua cujo cumprimento não é obrigatório e pertença a uma das seguintes categorias:
  • Norma Internacional;
  • Norma Europeia;
  • Norma Nacional.

Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Norma de Segurança
Conjunto de directrizes devidamente ordenadas com vista a evitar situações de risco para os trabalhadores.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho


»Norma Europeia
Norma adoptada por uma Comissão Europeia de Normalização e colocada à disposição do público.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho


»Norma Europeia Harmonizada
Especificação técnica adoptada por um organismo europeu de normalização com base num mandato da Comissão conferido em conformidade com a Directiva 83/189/CEE e suas alterações.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho


»Norma Internacional
Norma adoptada por uma Organização Internacional de Normalização e colocada à disposição do público.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho


»Manutenção preventiva
Norma adoptada por um Organismo Nacional de Normalização e colocada à disposição do público.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho


»Normalização
Conjunto de normas e especificações técnicas na área da segurança, higiene e saúde no trabalho, relativas a metodologias e procedimentos, critérios de amostragem, certificação de equipamentos, produtos e serviços.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho


»Normativo
O que tem a força de uma norma. Conjunto de legislação que se refere a um tema.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Notificação de acidente
Documento que serve para comunicar aos interessados, de forma sucinta, a descrição de um acidente.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho


»Notificação para apresentação de documentos
[Procedimentos inspectivos da ACT – de apoio à investigação)]Requisição, com efeitos imediatos ou para apresentação nos serviços da Autoridade para as Condições do Trabalho, para examinar e copiar documentos e outros registos que interessem para o esclarecimento das relações de trabalho e das condições de trabalho (art.º 11º/1-e do Decreto-Lei n.º 102/2000).
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho


»Notificação para tomada de medidas
[Procedimentos inspectivos da ACT – não coercivos] Procedimento que constitui uma determinação para que, dentro de um prazo fixado, sejam realizadas nos locais de trabalho as modificações necessárias para assegurar a aplicação das disposições relativas à segurança, higiene e saúde dos trabalhadores (art.º 13º/2-a da Convenção 81 da OIT e art.º 10º/1-c do Decreto-lei n.º 102/2000). Do incumprimento das medidas determinadas resultam procedimentos coercivos.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho


»Nova abordagem
Doutrina comunitária em matéria de harmonização técnica e de normalização, cujo princípio básico consiste em remeter para normas europeias harmonizadas, ou na sua falta, para normas nacionais, a missão de definir as características técnicas dos produtos.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho, 1996

Fonte: http://www.act.gov.pt

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
»Ohm

Unidade de medida de resistência elétrica de um condutor ou de um isolante (Ω).
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Ombreiras
[Construção] Guarnições verticias das portas e janelas sobre as quais assenta a verga.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Operação
Conjunto de tarefas com vista a realizar uma determinada actividade.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Operador
[Equipamentos de trabalho] Qualquer trabalhador incumbido da utilização de um equipamento de trabalho.
Fonte: Decreto-Lei nº50/2005, de 25 de Fevereiro de 2005

»Orçamentista
[Construção] Técnico que elabora os orçamentos para as obras, fazendo assim uma previsão dos custos da mesma.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Orçamento
[Construção] Previsão do custo final e parcial de uma obra, incluindo materias, mão-d~-obra, transportes e encargos gerais a executar em condições pré-determinadas.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Orelha
[Equipamentos de trabalho] Parte espalmada e fendida do amrtelo destinada a arrancar pregos. Elemento de uma porca de desapertar à mão.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Organismo notificado
Organismo competente para a execução das tarefas relativas à avaliação da conformidade prevista numa ou mais directivas "nova abordagem", designado por um Estado-membro de entre os organismos sobre os quais se exerce a sua jurisdição, que satisfaça os critérios de competência e as exigências fixadas nas directivas e notificado à Comissão e aos restantes Estados-membros.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Organismo de referência
Organizações acreditadas para validarem os procedimentos e os resultados da avaliação de riscos profissionais.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Organização
Companhia, firma, empresa, instituição ou associação, ou parte delas, anónima ou não, pública ou privada, que tem as suas próprias funções e administração. Para organizações com mais do que uma unidade produtiva cada uma dessas unidades pode ser entendida como uma organização.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Organização do trabalho
Conjunto de acções enquadradas num contexto organizacional global, visando a repartição de missões, tarefas e responsabilidades, a adopção de determinados métodos de trabalho e a reunião de competências individuais adequadas.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho


»Organização Internacional do Trabalho (OIT)
Agência especializada no âmbito das condições de trabalho, inserida nas instituições da Organização das Nações Unidas, com estrutura tripartida. Dentro das principais actividades desta organização salientam-se:

  • a formulação das políticas e programas internacionais;
  • a adopção de normas internacionais do trabalho e controlo das sua aplicação;
  • a cooperação técnica internacional;
  • a criação e divulgação de informação.

Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Organograma
Estrutura organizativa de uma empresa onde estão representados os vários serviços e departamentos e sua interrelação.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Orla
[Construção] Borda ou rebordo; contorno; guarnição que remata perifericamente uma porta folheada.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Outão
[Construção] Empena ou fachada lateral.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Outar
Calibrar areias.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Outorga
Aprovação da proposta.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Ouviela
[Construção] Vala para drenar água. (Ver dreno).
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

Fonte: http://www.act.gov.pt

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

»Padieira
[Construção] Verga de madeira utilizada em construção rústica.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Padiola
[Movimentação de cargas] Estrado apoiado em duas varas, destinado ao transporte de elementos pesados, seguro por duas pessoas.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Painel
[Construção] Face de uma pedra talhada; conjunto de azulejos decorativos assentes.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Pala
[Construção] Elemento saliente de uma fachada destinado a protegê-la dos raios solares ou chuva.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Palmeta
Elemento em madeira ou ferro, em forma de cunha, para calçar uma peça ou para introduzir numa fenda de modo a abri-la.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Palmo
Antiga unidade de medida que corresponde a 21 centímetros ou oito polegadas.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Panteão
[Construção] Monumento arquitectónico destinado a sepultar pessoas famosas ou heróicas.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Pantógrafo
[Equipamento de trabalho] Instrumento auxiliar do desenhador destinado a ampliar ou reduzir desenhos.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Parábola
Curva plana com a propriedade de todos os seus pontos serem equidistantes do foco e directriz.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Paramento
[Construção] Face exterior de uma parede.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho


»Parapeito
[Construção] Parede que se eleva desde o pavimento até cerca de 0,90m, numa janela, e que veda essa parte do vão.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Pára-raios
[Electricidade] Sistema metálico, provido de um cabo condutor, destinado a conduzir as descargas eléctricas atmosféricas até à terra, de modo a evitar os danos que possam causar.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho


»Parede
[Construção] Elemento de alvenaria, betão, madeira ou outro material, destinado a vedar um espaço interior ou exterior.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Parede-mestra
[Construção] Parede principal num edifício onde se descarregavam as cargas dos pavimentos e outros elementos superiores.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Pargas
Pilhas de terra retiradas da escavação e depositadas na berma da mesma para posterior reposição. Deve ser respeitada uma distância de segurança que impeça o desmoronamento da parede da escavação.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Parquete (Parquet)
Pavimento formado por elementos rectangulares de madeira formando um desenho.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Participação
Sistema de envolvimento e cooperação dos trabalhadores que significa o exercício de algum tipo de influência nos processos de decisão sobre o trabalho e sobre o modo como o mesmo é realizado, podendo concretizar-se de forma directa ou indirecta através dos seus representantes eleitos. A participação pode ter natureza consultiva (o empregador não se vincula aos resultados da consulta) ou deliberativa (atribuem-se aos trabalhadores alguma ou algumas responsabilidades tradicionais da gestão).
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho


»Participação do Inspector do Trabalho
[Procedimentos inspectivos da ACT – coercivos] Procedimento de natureza sancionatória lavrado pelo inspector do trabalho relativo a infracções que não tenha verificado de forma pessoal e directa.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho


»Participação crime por desobediência
[Procedimentos inspectivos da ACT – coercivos] Comunicação ao Ministério Público por parte da Autoridade para as Condições do Trabalho para procedimento criminal que ocorre quando não é obedecida a notificação de suspensão imediata de trabalhos de entrega de documentos ou incumprimento para notificação de cessação de actividade de menor que não reúna as condições legais para trabalhar (art.º 348º do Código Penal, art.º 83º e 547º do Código do Trabalho, aprovado pela Lei nº 7/2009, de 12 de Fevereiro).
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho


»Parturiente
Mulher que pariu ou está prestes a parir.
Fonte: TELO, Emília; CORREIA, Maria Manuela Calado. Prevenção de riscos no período de maternidade: guia de boas práticas. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto para a Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho, 2006


»Pasmar
Elemento elástico, em geral mola, que perdeu essa capacidade.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Passadiço
[Construção] Passagem externa que liga dois edifícios ou espaços. Devem dispor de protecções adequadas.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Passo
[Construção] Distância horizontal entre dois focinhos dos degraus de uma escada.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Pasta
Mistura de um aglomerado e água para preencher pequenos espaços ou fazer remates. A sua constituição é plástica.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Pastilha
[Construção] Pequenos ladrilhos cerâmicos utilizados no revestimento de paredes ou vítricos, utilizados por exemplo em piscinas.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Patamar
[Construção] Espaço plano entre dois lanços de escada.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Patilha
[Construção] Elemento de uma dobradiça através do qual se lhe liga a porta e esta ao aro. Peça saliente.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Patim
[Construção] O mesmo que patamar.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Pátio
[Construção] Espaço descoberto e vedado através do qual se tem acesso a um edifício.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Patologia do trabalho
Parte da medicina que estuda as doenças derivadas do exercício da actividade laboral.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Pavimento
Em estradas, aeroportos, etc., é o revestimento superficial. Em edifíciosé o conjunto de superfícies, ao mesmo nível, que servem para circulação e apoio de mobiliário.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»
Unidade de medida anglo-saxónica com 30,5cm ou doze polegadas.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Pé-direito
[Construção] Distância entre o pavimento e a cobertura num determinado ponto do piso de um edifício. Devem ser observados valores mínimos para cada actividade, garantindo uma volumetria que proporcione a necessária renovação de ar por trabalhador.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Pedra
Matéria mineral dura de origem rochosa e que tem a maior intervenção na construção, quer na sua forma original depois de talhada, quer na produção de britas e areias.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Pedreira
Local onde se extrai pedra para construir ou transformar.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Pedreiro
Profissional que, na construção, executa alvenarias com pedra natural ou artificial.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Pegão
[Construção] Pilar enterrado de grandes dimensões.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Peitoril
[Construção] O mesmo que parapeito ou somente a parte de madeira ou pedra que encima o parapeito.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Pendor
[Construção] O mesmo que declive ou inclinação.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Pendural
[Construção] Peça de madeira, ferro ou betão que, numa asna, liga as pernas à linha.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Peneiro
Crivo circular ou rectangular, com o fundo em rede ou em tela, destinado a separar materiais de acordo com as suas dimensões.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Penetração (ensaio de)
Medida da consistência de materiais ou solos de acordo com a resistência oposta à introdução de medida-padrão.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Penetrómetro
[Equipamentos de medição] Instrumento destinado a efectuar ensaios de penetração.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Pequena Empresa
Empresa que emprega mais de 10 e menos de 50 trabalhadores.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho


»Perfil de Formação
Documento elaborado com base em perfis profissionais, servindo de suporte à concepção de programas de formação, contendo: os objectivos; a organização da formação (metodologias, espaços, meios, intervenientes, avaliação formativa...) a duração da formação (incluindo estágio) e as competências a obter directamente da formação.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho


»Perfil Profissional
Descrição do conjunto de competências, atitudes e comportamentos necessários para exercer as funções próprias de um grupo de profissões afins, de uma profissão ou de um posto de trabalho.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho


»Pérgula
Estrutura decorativa constituída por colunas paralelas sobre as quais assentam longarinas e travessas.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Perigo
Propriedade ou capacidade intrínseca de um componente do trabalho potencialmente causador de danos.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Perigo grave e iminente
Qualquer condição ou prática no local de trabalho da qual seja razoável esperar que possa causar a morte ou danos corporais graves e ocorrer dentro de um curto espaço de tempo ou antes que o perigo possa ser eliminado através da aplicação das medidas previstas na lei
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Perigosidade
Condição perigosa; situação em que um trabalhador tem forte probabilidade de ter um acidente grave ou mortal.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Perímetro
Medida do contorno de uma figura geométrica.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Peristilo
[Construção] Colunas ornamentais na fachada de um monumento ou em torno de um pátio.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Peritagem
Conjunto de acções levadas a efeito por pessoa competente, nomeada judicialmente ou por uma companhia de seguros, para apurar as causas de um acidente e propor a eventual reparação a que o sinistrado tenha direito.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho


»Perna
[Construção] Elemento constituinte de uma asna que suporta as madres, ligando a fileira à linha.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Perno
Peça metálica que serve para imobilizar um conjunto.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Perpianho
[Construção] Trabalho em cantaria em que as pedras são aparelhadas ficando com juntas ortogonais.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Persiana
[Construção] Elemento colocado pelo exterior de uma janela para a proteger da luz e da vista.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Perspectiva
Técnica de representar um desenho tal como o vemos desse ângulo, diferente das vistas segundo planos ortogonais.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Pessoa competente
[Equipamentos de trabalho] A pessoa que tenha ou, no caso de ser pessoa colectiva, para a qual trabalhe pessoa com conhecimentos teóricos e práticos e experiência no tipo de equipamento de trabalho a verificar, adequados à detecção de defeitos ou deficiências e à avaliação da sua importância em relação à segurança na utilização do referido equipamento.
Fonte: Decreto-Lei nº 50/2005, de 25 de Fevereiro de 2005


»Picareta
[Equipamentos de trabalho] Ferramenta para cavar terra dura, formada por um cabo e um ferro, sendo um dos extremos afiados e o outro espalmado.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Piçarra
Terreno constituído por areias e seixo pouco aglutinado.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Pichelaria
Fabrico de tubos de folha e montagem de canalizações de água. Termo utilizado no norte do País.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Pigmento
Substâncias que dão cor às tintas.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Pilão
[Equipamentos de trabalho] Peça cilíndrica que no bate-estacas serve de martelo, para as cravar.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Pilar
[Construção] Elemento vertical da estrutura de uma obra que serve para suportar cargas.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Pinásio
[Construção] Fasquia de madeira que suporta e remata a junta entre dois vidros. Pequeno pilar de cantaria.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Pintura
Processo de aplicação da tinta sobre uma superfície a proteger. Os métodos e condições de aplicação, bem como a natureza dos produtos constituintes, determinam condições particulares de segurança.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Piquetagem
[Construção] Marcação de uma obra no terreno, com estacas.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Pirómetro
[Construção] [Equipamentos de medição] Aparelho para medir altas temperaturas, à distância.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Placa
[Sinalização de segurança e de saúde] É o sinal que combina uma forma geométrica, cores e um símbolo ou pictograma, visando fornecer uma indicação cuja visibilidade deva ser garantida por iluminação adequada.
Fonte: Decreto-Lei n.º 141/95, de 14 de Junho [Prescrições mínimas para a sinalização de segurança e de saúde no trabalho]

»Placa adicional
[Sinalização de segurança e de saúde] É a placa utilizada em conjunto com outra placa e que fornece indicações complementares a esta.
Fonte: Decreto-Lei n.º 141/95, de 14 de Junho [Prescrições mínimas para a sinalização de segurança e de saúde no trabalho]

»Plaina
[Equipamentos de trabalho] Ferramenta manual ou mecânica que serve para alisar madeira.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Planeamento
[Construção] Estudo das intervenções que se vão desenrolar numa obra e do tempo necessário à sua execução. No plano de segurança esta actividade tem uma importância capital.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Planímetro
Conjunto organizado de procedimentos, de meios humanos e materiais cujo objectivo visa eliminar ou reduzir as consequências dos acidentes. Abrange três vertentes: a evacuação, o combate ao sinistro e a prestação de primeiros socorros.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho


»Plano de Emergência
[Construção] Fasquia de madeira que suporta e remata a junta entre dois vidros. Pequeno pilar de cantaria.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Plano de evacuação
Estudo das condições de segurança de um edifício relativamente os riscos graves (incêndio, explosão, fuga de gás, etc.), estabelecendo os caminhos de saída mais rápidos e seguros, bem como a sinalização e coordenação destas acções.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Plano de SHST (Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho)
Estudo da situação relativamente ao conjunto dos postos de trabalho, compreendendo a análise das situações, objectivos a atingir e medidas a implementar.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Plataforma
[Construção] Área plana horizontal mais elevada que a sua envolvente. Utiliza-se para trabalhos de construção, devendo observar-se as medidas de segurança de modo a evitar quedas e outros riscos.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Platibanda
[Construção] Murete de alvenaria acima dos telhados destinado a cortar a sua vista. Constitui, em geral, uma boa protecção para posteriores reparações.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Pneumoconiose
[Doenças profissionais] Lesão provocada ao nível pulmonar por inalação de poeiras minerais e outras.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»
Partícula de reduzidas dimensões e peso que permanece no ar, pelo que é respirável. Conforme a sua natureza pode apresentar riscos diversos, desde o cancerígeno até ao explosivo. As suas dimensões variam entre 10.2 microns até 5.102 microns.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Poeiras de amianto
[Amianto] São as partículas de amianto em suspensão no ar ou depositadas mas susceptíveis de ficarem em suspensão no ar.
Fonte: Decreto-Lei n.º 266/2007, de 27 de Julho


»Polegada
Medida inglesa de comprimento equivalente a 25,4 mílimetros.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Poluição
A presença de matéria ou energia cuja natureza, localização ou quantidade produz efeitos ambientais indesejados.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho


»Pontalete
[Equipamentos de trabalho] Pequena escova, utilizada em geral nas asnas.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Pontão
[Construção] Ponte de pequenas dimensões normalmente usada para peões.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Ponto de combustão
[Atmosferas explosivas] Temperatura acima da qual se deve contar com a formação de uma mistura explosiva devido à formação de gases de combustão.
Fonte: Fonte: COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. SSegurança e saúde dos trabalhadores expostos a atmosfera explosivas: guia de boas práticas. .1.ª Edição, Lisboa, Instituto para a Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho, 2006.


»Ponto de ignição
[Incêndios] Também designado por “fire point” é a temperatura mais baixa para a qual uma mistura de ar e vapor mantém a combustão após a respectiva inflamação.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Ponto de inflamação
[Atmosferas explosivas] Temperatura mínima à qual, sob condições de testes específicas, um líquido liberta gás ou vapor inflamável em quantidade suficiente para se incendiar instantaneamente em contacto com uma fonte de ignição efectiva.
Fonte: COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. SSegurança e saúde dos trabalhadores expostos a atmosfera explosivas: guia de boas práticas. .1.ª Edição, Lisboa, Instituto para a Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho, 2006.


»Ponto de orvalho
[Ambiente térmico] Temperatura em que o ar fica saturado de vapor de água dando-se a sua condensação sobre superfícies frias.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Porta de emergência
Saída destinada exclusivamente para ser utilizada quando há necessidade de uma evacuação de emergência. Devem estar devidamente sinalizadas e desobstruídas.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Porta-mira
Ajudante de topógrafo que transporta a mira em trabalhos de campo.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Posto de trabalho
Sistema constituído por um conjunto de recursos humanos, físicos, tecnológicos e organizacionais que, no seio de uma organização de trabalho, visa a realização de uma tarefa ou actividade.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Potência calorífica
Quantidade de calor emitida pela unidade de massa de um combustível durante a combustão completa.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Pozolana
Componente utilizado na produção de cimento.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Prancha
[Construção] Tábua de uso corrente na construção que, frequentemente, forma o piso das plataformas de trabalho dos andaimes. As suas dimensões são 65mm de espessura por 1185mm de largura.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Prancheta
[Equipamentos de trabalho] Mesa de trabalho do desenhador onde trabalham as réguas ou máquinas de desenho.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Prensa
Dispositivo destinado a comprimir, apertar ou moldar objectos. Se são de funcionamento manual comportam riscos reduzidos. Contudo, se operam por meios hidráulicos ou outros, devem dispor obrigatoriamente de sistemas de segurança eficazes.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Preparação
É a mistura ou solução composta por duas ou mais substâncias.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Pressão (máxima) de explosão
[Atmosferas explosivas] Pressão máxima que ocorre num recipiente fechado durante a explosão de uma atmosfera explosiva determinada sob condições de teste específicas.
Fonte: COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. SSegurança e saúde dos trabalhadores expostos a atmosfera explosivas: guia de boas práticas. .1.ª Edição, Lisboa, Instituto para a Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho, 2006.


»Prevenção
Conjunto de políticas e programas públicos, bem como disposições ou medidas tomadas ou previstas no licenciamento e em todas as fases de actividade da empresa, do estabelecimento ou do serviço, que visem eliminar ou diminuir os riscos profissionais a que estão potencialmente expostos os trabalhadores.
Fonte: Lei n.º 102/2009, de 10 de Setembro [Regime jurídico da promoção da segurança e saúde no trabalho]

»Prevenção Integrada
Modo de prevenção que consiste em agir na fase de concepção, intervindo a montante (até para eliminar o risco ou, ao menos, para o reduzir), tendo presente um número cada vez maior de factores (organização do trabalho, planificação do trabalho, ritmos de trabalho, monotonia de tarefas, concepção do posto de trabalho, cargas físicas e mentais do trabalho, factores de natureza psicossocial).
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho


»Prevenção Intrínseca
Modo de prevenção que consiste em agir unicamente sobre a forma, a disposição, o modo de montagem, o princípio dos elementos constituintes funcionais de um sistema (máquina), sem acrescentar elementos especificamente concebidos com vista a garantir a segurança.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho


»Prevenção no trabalho
Acção organizada que tem por objectivo a eliminação dos riscos ou a sua redução, bem como o estudo das condições de trabalho para promover a sua adaptação ao Homem.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Princípios Gerais de Prevenção

  1. Evitar os riscos
  2. Avaliar os riscos que não podem ser evitados
  3. Combater os riscos na origem
  4. Adaptar o trabalho ao Homem (ergonomia), agindo sobre a concepção, a organização e os métodos de trabalho e de produção
  5. Realizar estes objectivos tendo em conta o estádio da evolução da técnica
  6. De uma maneira geral, substituir tudo o que é perigoso pelo que é isento de perigo ou menos perigoso;
  7. A prevenção dos riscos deve integrar-se num sistema coerente que abranja a produção, a organização, as condições de trabalho e o diálogo social
  8. Adoptar prioritariamente as medidas de protecção colectiva, recorrendo às medidas de protecção individual unicamente no caso de a situação impossibilitar qualquer outra alternativa
  9. Formar e informar os trabalhadores

Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Procedimento de Operação
Sucessão ordenada de operações conduzindo a um resultado.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho


»Processo de Fabrico
Princípio da elaboração de um produto previamente definido. É por essência imaterial.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho


»Processo de Trabalho
Sucessão, no tempo e no espaço, da acção conjunta do Homem, dos equipamentos de trabalho, dos materiais, da energia e da informação dentro de um sistema de trabalho.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho


»Profissão habitual
Para efeitos legais e, particularmente no caso de acidentes de trabalho, é a profissão que o trabalhador desempenha no momento em que sofre o acidente. No caso de doença profissional entende-se que é a exercida nos 12 meses anteriores.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Programa de Gestão de Prevenção de Riscos
Descrição documentada para alcançar os objectivos e metas em matéria de prevenção dos riscos profissionais.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho


»Programa de Prevenção
Conjunto articulado de acções, a desenvolver num determinado horizonte temporal, com a definição dos objectivos e recursos necessários ao desenvolvimento da prevenção.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho


»Projectista
[Construção] Técnico habilitado a executar projectos.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Projecto
[Construção] Plano geral composto por partes escritas e partes desenhadas em que são estudados e calculados todos os elementos de uma obra.caso de doença profissional entende-se que é a exercida nos 12 meses anteriores.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Promoção da Saúde
Abordagem que visa a criação de condições para que os indivíduos e grupos adquiram capacidades que lhes permitam controlar a sua saúde (e da família, amigos, vizinhos, etc.), responsabilizar-se por ela e agir sobre os factores que a influenciam.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho


»Promoção da Saúde no Trabalho
Abordagem integrada da saúde no trabalho, que combina os aspectos mais inovadores da promoção da saúde com a abordagem mais tradicional da higiene e segurança no trabalho. Este conceito assenta em cinco princípios:

  • Pode aplicar-se a todos os grupos da população trabalhadora;
  • Tem como alvo as causas subjacentes a alterações de saúde;
  • Combina diversos métodos de abordagem;
  • Requer a participação concreta e efectiva dos trabalhadores;
  • Não é uma actividade primordialmente médica; pelo contrário deve fazer parte integrante da política da empresa, no domínio da organização e das condições de trabalho.

Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Promotor
[Construção] A pessoa ou entidade que promove a realização de um empreendimento.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Protecção
Conjunto de meios e técnicas para controlar os riscos mediante:

  • A adaptação de sistemas de segurança (dispositivos e resguardos);
  • Equipamentos de protecção individual;
  • Normas de segurança e sinalização de riscos;
  • Disciplina e incentivos.

Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Protecção colectiva
[Segurança no trabalho] Técnica de protecção em que se protege o conjunto de trabalhadores, eliminando, afastando ou interpondo barreiras entre estes e o risco. Dentro destas protecções consideram-se as normas de segurança e a sinalização.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Protecção individual
[Segurança no trabalho] Técnica de protecção relativamente a um ou mais riscos em que se aplica ao trabalhador a respectiva protecção.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Protecção positiva
Técnica de protecção que é activada sempre que há uma falha no circuito de alimentação.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Protector auditivo
[Segurança no trabalho] É o EPI (Equipamento de protecção Individual) que é utilizado para reduzir o efeito agressivo do ruído ambiente no aparelho auditivo. São de quatro tipos: de inserção no canal auditivo externo (tampões); de cobertura de todo o pavilhão auricular (protectores auriculares); de cobertura de parte substancial da cabeça e de todo o pavilhão auricular (capacetes) e os protectores activos.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Protector ocular
[Segurança no trabalho] Equipamento de protecção destinado a proteger o operador do risco provocado pela projecção de partículas, radiações ou de outros riscos para a vista.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Protector respiratório
[Segurança no trabalho] Equipamento de protecção individual destinado a proteger o trabalhador do risco de inalação de agentes agressivos.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Protótipo
Primeiro exemplar de uma série a produzir, constituindo um modelo.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Provas
[Movimentação de cargas] Em equipamentos de elevação faz-se uma prova estática suspendendo uma carga que pode atingir 1,5 vezes a carga de utilização, ou mais. Nos solos fazem-se provas por penetração.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Prumada
Vertical que passa por um conjunto de peças ou elementos de um edifício.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Prumo
[Equipamentos de trabalho] Ferramenta utilizada para determinar uma prumada, formado por um fio onde está suspenso um pião.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Psicologia do Trabalho
Ramo da Psicologia Aplicada que estuda o comportamento humano no trabalho, orientado para a selecção de pessoal, para a preparação profissional, para a melhoria das relações humanas e para aceitação das regras de prevenção de riscos profissionais.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho


»Psicómetro
[Equipamentos de medição] Aparelho que serve para medir a temperatura seca e húmida do ar. É utilizado para o estudo do ambiente térmico e cálculo do stress térmico.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Psicossociologia aplicada
Abordagem sobre os fenómenos sociais, comportamentais e relacionais, no âmbito da empresa, na óptica da prevenção de riscos profissionais.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho


»Pulverizador (misturador)
[Equipamentos de trabalho] Máquina que, na construção civil, serve para espalhar materiais de revestimento em pavimentos.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Punção
[Equipamentos de trabalho] Ferramenta pontiaguda que serve para rebater os pregos.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996


»Purga
Operação que consiste em extrair o ar, água ou outro fluído de uma instalação.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

Fonte: http://www.act.gov.pt

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
»Q-Rohr
[Atmosferas explosivas] Os chamados Q-Rohr (tubos Q) podem ser incorporados no ponto de saída dos dispositivos de descarga de explosões. Uma rede metálica especial interrompe a chama da explosão, impedindo a sua propagação para o exterior..
Fonte: COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Segurança e saúde dos trabalhadores expostos a atmosfera explosivas: guia de boas práticas. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto para a Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho, 2006

»Quadro de cargas
[Movimentação de cargas] Painel ou placa colocada nos aparelhos elevatórios que informa os condutores sobre os limites de utilização dos aparelhos.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Quantidades perigosas
[Atmosferas explosivas] Atmosferas explosivas em quantidades susceptíveis de pôr em perigo a saúde e a segurança dos trabalhadores ou de terceiros.Regra geral, a presença de 10 litros de atmosfera explosiva, sob a forma de um volume contínuo, em espaços fechados deve já ser considerada perigosa, independentemente da dimensão desses locais..
Fonte: COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Segurança e saúde dos trabalhadores expostos a atmosfera explosivas: guia de boas práticas. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto para a Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho, 2006.

»Quebra-mar
Estrutura ou barreira natural que protege portos e praias contra correntes marítimas.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Quebra-sol
Elementos de construção destinados a provocar o ensombramento de uma área ou fachada controlando o excesso de luz ou o ambiente térmico dessa zona. Também chamado pára-sol.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Queda de carga
[Movimentação de cargas] Acidente que ocorre durante a operação de içar por ruptura de um meio de suspensão.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Queda de nível
É a denominação que se dá a uma queda num pavimento à mesma cota ou com pequenas diferenças. É, em geral, provocado por má arrumação do local de trabalho ou passagem por elementos não sinalizados.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Queda de altura
É a denominação que se dá à queda entre duas cotas significativamente afastadas. Em geral produz acidentes graves ou mortais, pelo que se devem observar medidas de segurança apropriadas.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Quinadeira
[Equipamentos de trabalho] Máquina de dobrar chapa em ângulo recto. Estas máquinas comportam elevados riscos, devendo obrigatoriamente dispor de protecções que podem ser por afastamento, comando bi-manual ou outro.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

Fonte: http://www.act.gov.pt