Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
»Radiação
[Radiações] Forma de propagação da energia entre dois pontos mesmo não existindo fluído intermédio.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Radiação infra-vermelha
[Radiações] Energia radiante não ionizante emitida na faixa do espectro electromagnético entre os 760 e os 25.000Nm.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Radiação ionizante
[Substâncias radioactivas] Transferência de energia sob a forma de partículas ou ondas electromagnéticas com um comprimento de onda igual ou inferior a 100 nm ou uma frequência igual ou superior a 3 x 1015 Hertz e capazes de produzir iões directa ou indirectamente.
Fonte: Decreto-Lei n.º 174/2002, de 25 de Julho [Regras aplicáveis à intervenção em caso de emergência radiológica]

»Radiação não ionizante
[Radiações] Radiação de baixa energia do espectro electromagnético que não produz ionização ao atravessar a matéria. Estão neste caso a luz visível, as radiações UV, infravermelha, radiofrequência, micro-ondas, etc.
A sua acção sobre o corpo humano é do tipo térmico e fotoquímico, podendo causar queimaduras e lesões oculares, entre outras.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Raio
Distância entre o centro e um ponto da circunferência ou da esfera.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Ralo
Chapa perfurada que se aplica à entrada de um tubo de esgoto de modo a evitar o seu entupimento.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Ramal
Em redes de águas, esgotos ou outro fluido, corresponde a um caminho subsidiário dessa rede.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Rampa
Plano inclinado; considera-se no sentido da subida.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Ranhura
Entalhe estreito, feito numa peça plana. Rebaixo no topo de uma peça, correspondente à fêmea, num sistema de encaixe.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Rascunho
Esboço ou conjunto de notas escritas ou desenhadas que servem de base a um trabalho definitivo.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Rastilho
Cordão com o interior em pólvora que serve para transmitir fogo a uma carga explosiva.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Rebarba
Saliência angulosa que se forma ao cortar metal, madeira ou outro material duro.
As rebarbas são causadoras de grande número de acidentes, em particular nas mãos. Caso não se consigam eliminar deve ser usado equipamento de protecção individual adequado.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Rebarbadora
[Equipamentos de trabalho] Ferramenta mecânica com disco abrasivo, destinada a tirar rebarbas.
A utilização desta ferramenta comporta vários riscos, como seja o risco de surdez, de projecção de partículas para a face e os olhos e as vibrações que transmite à mão e braço.
A sua utilização requer medidas de segurança adequadas.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Rebitar
Bater o rebite para formar uma segunda cabeça que fixa a peça.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Rebite
Elemento de fixação com uma cabeça e um troço de varão de reduzidas dimensões.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Rebocar
Revestir uma parede com uma massa de cal, cimento e areia ou gesso e areia.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Reboque
[Equipamentos de trabalho] Veículo sem tracção própria e que se movimenta puxado por outro.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Recalcar
Compactar terreno com massa ou compactador.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Receptor
Em rede de esgotos é o colector principal de drenagem dos ramais.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Recomendações
[Procedimentos inspectivos da ACT – não coercivos] Procedimento de natureza não vinculativa utilizável no âmbito da actividade de controlo inspectivo, suportado em referenciais técnicos reconhecidos, relativamente a factualidades omissas ou não previstas especificamente na lei, traduzindo uma actividade de conselho sobre a melhor forma de lhe dar cumprimento (art.º 17º/2 da Convenção 81 da OIT).
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Reconstrução
[Construção] Construir de novo algo que está em situação de ruína.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Reconversão
[Construção] Conjunto de obras que visam dar uma nova utilização a um edifício.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Reconversão de andaime
[Equipamentos de trabalho] A operação da qual resulte modificação substantiva da estrutura prevista na concepção inicial do andaime.
Fonte: Decreto-Lei nº 50/2005, de 25 de Fevereiro de 2005

»Recrava
[Construção] Rebaixo de um vão em alvenaria para assentamento de aro ou caixilho.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Recuperar
[Construção] Relativamente a uma construção diz-se das obras feitas para repor os efeitos do envelhecimento ou outros danos.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Rede
Em instalações é o conjunto de meios que se combinam para fins bem definidos. Ex: rede de água, gás, comunicações, etc.
Vedação composta por fios, arames, etc. para fechar espaços.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Rede de prevenção
Rede nacional constituída por organizações especializadas nos domínios integrantes do Sistema Nacional de Prevenção de Riscos Profissionais.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Redutor
Acessório que se destina a ligar tubos de diâmetros diferentes.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Refractário
Material que suporta a acção directa das chamas a elevadas temperaturas, como tijoleiras próprias para fornos e lareiras.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Refugo
Materiais que não possuam o controlo mínimo de qualidade.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Relaxação
Diminuição ao longo do tempo da tensão sob deformação constante.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Remate
[Construção] Adorno em obra de arquitectura.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Remodelar
[Construção] Em edifícios corresponde a adaptar às novas exigências.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Renovar
[Construção] Conjunto de obras que visam melhorar um edifício; restaurar.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Reparação
Compensação financeira, ou em espécie, atribuída em função de um determinado grau de incapacidade resultante de um acidente de trabalho ou de doença profissional.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Repavimentar
[Construção] Renovação do pavimento devido ao desgaste ou degradação.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Repintar
[Construção] Renovação da pintura devido à sua degradação.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Represa
O mesmo que barragem.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Representante dos trabalhadores
Pessoa eleita nos termos definidos na lei para exercer funções de representação dos trabalhadores nos domínios da segurança, higiene e saúde no trabalho.
Fonte: Decreto-Lei n.º 441/91, de 14 de Novembro [Lei Quadro da Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho]

»Requeimado (arame)
Tratamento térmico dado ao arame para atar armaduras de modo a acrescentar-lhe maleabilidade.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Resguardos
Protecção contra perigos, guardas de varandas, escadas, terraços, etc.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Resíduos
Material que sobra ou resta após um processo químico. Em obras são os entulhos..
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Resina
Produto obtido por condensação ou polimerização de certas substâncias, com larga utilização em revestimentos, pinturas, etc.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Resistência
Força que se opõe a outra. Coeficiente entre a diferença de potencial pela resistência..
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Resistência ao fogo (RF)
[Incêndios] Característica de um elemento construtivo capaz de resistir, por um determinado tempo, ao fogo mantendo as suas características de estabilidade.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Resistente à pressão de explosão
[Atmosferas explosivas] Propriedade dos recipientes e equipamento concebidos para suportar a pressão de explosão esperada sem ficarem permanentemente deformados.
Fonte: COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Segurança e saúde dos trabalhadores expostos a atmosfera explosivas: guia de boas práticas. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto para a Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho, 2006.

»Resistente ao choque de pressão da explosão
[Atmosferas explosivas] Propriedade dos recipientes e equipamento concebidos para suportar a pressão de explosão esperada sem ruptura, podendo no entanto ficar permanentemente deformados.
Fonte: COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Segurança e saúde dos trabalhadores expostos a atmosfera explosivas: guia de boas práticas. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto para a Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho, 2006.

»Respiga
Peça talhada no topo em forma de língua que entra noutra de modo a fazer uma ligação segura.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Responsável pela direcção técnica da obra
[Construção] É o técnico designado pela entidade executante para assegurar a direcção efectiva do estaleiro.
Fonte: Decreto-Lei n.º 273/2003, de 29 de Outubro

»Restaurar
[Construção] O mesmo que recuperar.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Retardador
Aditivos que se incorporam nas massas de betão ou gesso quando é necessário retardar a presa.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Retracção
Contracção devida à variação de humidade, temperatura ou reacção química, como no caso do betão.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Revestimento
[Construção] Aplicação de uma camada protectora ou decorativa. Consideram-se revestimentos em obra: rebocos, estuques, pinturas, telhas, mosaicos, etc.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»RIA
[Incêndios] Rede de Incêndios Armada que se destina a montar uma protecção contra o risco de incêndios numa determinada área, estando munida de agulhetas.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Rincão
[Construção] Linha de interceptação de duas águas de um telhado onde se juntam as águas das chuvas.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Ripa
[Construção] Peça de madeira com2,5 por 4 centímetros de secção, destinada a receber a telha.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Ripado
[Construção] Esteira formada pelas ripas, sobre as quais assenta a telha.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Risco
Uma combinação da probabilidade da ocorrência de um fenómeno perigoso com a gravidade das lesões ou danos para a saúde que tal fenómeno possa causar.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Risco Aceitável
Probabilidade que, no desenvolver do trabalho, ocorra um acontecimento anormal e imprevisto que ocasiona lesões e/ou danos.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Risco de acidente
Actividade concreta da formação que põe em relação directa (presencial ou à distância) formador e formando.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Risco Grave e Iminente
Risco de acidente que se supõe provável num futuro imediato e pode traduzir-se num dano grave para a saúde dos trabalhadores.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Risco profissional
Possibilidade de que um trabalhador sofra um dano provocado pelo trabalho. Para quantificar um risco valorizam-se conjuntamente a probabilidade de ocorrência do dano e a sua gravidade.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Riscos psicossociais
São decorrentes da evolução socioeconómica e das transformações do mundo do trabalho, os riscos psicossociais englobam o stresse, a depressão e a ansiedade, o assédio moral, a intimidação e a violência. Põem em risco o bem-estar no trabalho na sua dimensão física, moral e social.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Roço
[Construção] Sulco aberto sobre as paredes para embutir tubos e caixas que não se querem exteriores.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Rodapé
[Construção] Elemento de remate da parede com o pavimento.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Ruído
[Ruído] Som desagradável, contínuo ou de impacto, que, quando em excesso, pode provocar a surdez profissional. Impõe-se fazer a sua avaliação para determinar o tempo máximo de exposição e/ou as protecções adequadas.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Ruído ambiente
[Ruído] É o ruído global observado numa dada circunstância num determinado instante, devido ao conjunto das fontes sonoras que fazem parte da vizinhança próxima ou longínqua do local considerado.
Fonte: Decreto-Lei n.º 9/2007, de 17 de Janeiro [Regulamento Geral do Ruído]

»Ruído de vizinhança
[Ruído] É o ruído associado ao uso habitacional e às actividades que lhe são inerentes, produzido directamente por alguém ou por intermédio de outrem, por coisa à sua guarda ou animal colocado sob a sua responsabilidade, que, pela sua duração, repetição ou intensidade, seja susceptível de afectar a saúde pública ou a tranquilidade da vizinhança.
Fonte: Decreto-Lei n.º 9/2007, de 17 de Janeiro [Regulamento Geral do Ruído]

»Ruído impulsivo
[Ruído no local de trabalho] De acordo com o actual diploma legal que regula a exposição ao ruído durante o trabalho (Decreto-Lei n.º 182/2006, de 6 de Setembro) e que transpôs para o direito nacional a Directiva n.º 2003/10/CE, o «ruído impulsivo» é o ruído constituído por um ou mais impulsos de energia sonora, tendo cada um uma duração inferior a um segundo, e separados por mais de 0,2 segundos.
Fonte: Decreto-Lei n.º 182/2006, de 6 de Setembro

»Ruído particular
[Ruído] É componente do ruído ambiente que pode ser especificamente identificada por meios acústicos e atribuída a uma determinada fonte sonora.
Fonte: Decreto-Lei n.º 9/2007, de 17 de Janeiro [Regulamento Geral do Ruído]

»Ruído residual
[Ruído] É o ruído ambiente a que se suprimem um ou mais ruídos particulares, para uma situação determinada.
Fonte: Decreto-Lei n.º 9/2007, de 17 de Janeiro [Regulamento Geral do Ruído]

»Ruído uniforme
É o ruído cujo nível sonoro ponderado A se mantém praticamente constante.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Ruir
Cair com impacto; desmoronar-se.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

Fonte: http://www.act.gov.pt

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

»Sacada
[Construção] Janela rasgada até ao nível do pavimento, saliente e com grade.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Saibro
Areia Argilosa.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Salitre
Nitrato de potássio que se infiltra, dissolvido na água, nas paredes, constituindo um dos sais mais prejudiciais.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Salubridade
Conjunto de condições que se devem verificar para promover a saúde pública.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Saneamento
Rede que se destina a conduzir as águas negras e saponárias num edifício ou agregado populacional.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Sapata
[Construção] Fundação directa, descontínua, de um edifício, constituído por ummaciço de alvenaria ou betão.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Sarilho
[Movimentação de cargas] Aparelho primitivo destinado a elevar cargas.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Sarjeta
Caixa sifonada, montada nos arruamentos e destinada à drenagem das águas pluviais.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Sarrafado
[Construção] Regularização de massas de paredes ou pavimentação com um sarrafo.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Sarrafo
[Construção] Peça de madeira obtida pelo corte no sentido longitudinal de um barrote.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Saturado
Diz-se de uma solução que não dissolve mais; de um corpo que não absorve mais água; de um ambiente que atingiu o mais alto grau de humidade para aquela temperatura.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Saturnismo
[Construção] Janela rasgada até ao nível do pavimento, saliente e com grade.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Saúde no Trabalho
Abordagem que integra, além da vigilância médica, o controlo dos elementos físicos, sociais e mentais que possam afectar a saúde dos trabalhadores, representando uma considerável evolução face às metodologias tradicionais da medicina do trabalho.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Scraper
[Equipamentos de trabalho] Máquina de terraplanagem usada para elevação e arrastamento de terras. Estas máquinas comportam riscos que devem ser objecto de estudo e aplicação de medidas de segurança, nomeadamente em relação ao planeamento das operações.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Sebe
Cerca feita com arbustos.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Secante
Substância utilizada no fabrico de tintas oleosas. Estas substâncias têm riscos químicos que devem ser observados, principalmente ao nível das vias respiratórias e de contacto com a pele.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Sector de Actividade Económica de Risco Elevado
Sector de actividade com taxas de sinistralidade e de incidência de doenças profissionais acima da média nacional.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Segunda visita inspectiva
[Procedimentos inspectivos da ACT] A deslocação ou deslocações necessárias à consolidação da recolha de dados necessários à acção inspectiva que não foi possível realizar numa só visita inspectiva ou num dado limite temporal não superior a 2 meses
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Segurança contra incêndios
[Incêndios] Conjunto de meios e medidas destinadas a evitar e a proteger as pessoas contra o risco de incêndio.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Segurança integrada
Conceito em que se considera a segurança fazendo parte do processo produtivo ou em projecto, quer de uma instalação, quer de uma máquina.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Segurança no trabalho
Conjunto de metodologias adequadas à prevenção de acidentes de trabalho, tendo como principal campo de acção o reconhecimento e o controlo dos riscos associados aos componentes materiais do trabalho.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Seguro
Contrato mediante o qual uma das partes, o segurador, se compromete a cobrir determinados riscos no caso de ocorrerem à outra parte, o segurado, em troca do pagamento por este de uma quantia em dinheiro, o prémio.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Seguro de Responsabilidade Civil
Seguro cuja apólice dá cobertura a prejuízos causados a outrem, que visa o ressarcimento dos danos provocados no património de cada um ou na esfera dos seus direitos jurídicos. Tais danos podem resultar ou da violação ilícita de direitos absolutos ou do incumprimento de uma obrigação ou negócio jurídico. No primeiro caso estamos perante a Responsabilidade Civil Extra-Contratual e, no segundo, a Responsabilidade Civil Contratual.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Seixo
Pedra arredondada, utilizada como inerte no fabrico de betão armado.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Seno
Em trigonometria é uma função definida pelo quociente da ordenada da extremidade do arco de circunferência subentendida pelo ângulo e o seu raio.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Serra
[Equipamentos de trabalho] Ferramenta de corte, constituída por uma lâmina ou disco de aço, dentado.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Serralharia
Trabalho ou local onde se fazem trabalhos de aço e metalomecânica.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Serviço Nacional de Saúde
Conjunto de serviços que visa a prestação de cuidados globais de saúde a toda a população, abrangendo todas as instituições e serviços oficiais prestadores de cuidados de saúde. A rede nacional de prestação de cuidados de
saúde abrange também as entidades privadas contratadas pelo Estado para aqueles fins. As actividades de promoção e vigilância da saúde podem ser asseguradas, em determinadas situações, por este serviço.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Serviços de Prevenção
Conjunto de meios humanos e materiais necessários para desenvolver na empresa as actividades preventivas, tendo em vista garantir a adequada protecção da
segurança e da saúde dos trabalhadores e a integração desta função nos diversos níveis de decisão da empresa ou organização. Os serviços de prevenção podem ser organizados segundo diversas modalidades: serviços internos, serviços externos e serviços inter-empresas.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Serviços de Prevenção Associativos
Serviços de prevenção externos prestados por associações com personalidade jurídica e sem fins lucrativos.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Serviços de Prevenção Externos
Organização autorizada a exercer a actividade de prestação de serviços na área de segurança e higiene do trabalho, na área da saúde do trabalho ou em ambas, assegurando nas empresas o desenvolvimento da generalidade das actividades correspondentes àqueles domínios. Os serviços de prevenção externos podem revestir as seguintes formas: associativos, cooperativos, privados e convencionados.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Serviços de Prevenção Internos
Modalidade de organização das actividades de segurança, higiene e saúde no trabalho, constituída por serviços que fazem parte da estrutura de uma dada empresa abrangendo apenas os trabalhadores que nela prestam serviço.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Setia
[Equipamentos de trabalho] Prego de ferro com 57 milímetros de comprimento utilizado para pregar soalho.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Siderose
[Doenças profissionais] Pneumoconiose provocada pela inalação de poeiras de ferro. É uma doença profissional que afecta mineiros de ferro, polidores de metais e soldadores por arco eléctrico.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Sifão
Caixa ou tubo com curva e contracurva destinado em obra de esgotos a evitar os cheiros.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Silicone
Substância resistente à água e que se usa para colmatar frestas.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Silicose
[Doenças profissionais] Pneumoconiose provocada pela inalação de poeiras de sílica. É uma doença profissional que afecta os mineiros, fundidores de moldes de areia, etc.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Símbolo ou pictograma
[Sinalização de segurança e de saúde] É a imagem que descreve uma situação ou impõe um determinado comportamento e que é utilizada numa placa ou superfície luminosa.
Fonte: Decreto-Lei n.º 141/95, de 14 de Junho [Prescrições mínimas para a sinalização de segurança e de saúde no trabalho]

»Silo
[Construção] Depósito exterior ou subterrâneo. Nas obras de média e grande dimensão utiliza-se para armazenar cimento.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996. ´

»Sinal acústico
[Sinalização de segurança e de saúde] É o sinal sonoro codificado, emitido e difundido por um dispositivo específico, sem recurso à voz, humana ou sintética.
Fonte: Decreto-Lei n.º 141/95, de 14 de Junho [Prescrições mínimas para a sinalização de segurança e de saúde no trabalho]

»Sinal de aviso
[Sinalização de segurança e de saúde] É o sinal que adverte para de um perigo ou de um risco.
Fonte: Decreto-Lei n.º 141/95, de 14 de Junho [Prescrições mínimas para a sinalização de segurança e de saúde no trabalho]

»Sinal de indicação
[Sinalização de segurança e de saúde] É o sinal que fornece indicações não abrangidas por sinais de proibição, aviso, obrigação e de salvamento ou de socorro.
Fonte: Decreto-Lei n.º 141/95, de 14 de Junho [Prescrições mínimas para a sinalização de segurança e de saúde no trabalho]

»Sinal de obrigação
[Sinalização de segurança e de saúde] É o sinal que impõe certo comportamento.
Fonte: Decreto-Lei n.º 141/95, de 14 de Junho [Prescrições mínimas para a sinalização de segurança e de saúde no trabalho]

»Sinal de proibição
[Sinalização de segurança e de saúde] É o sinal que proíbe um comportamento.
Fonte: Decreto-Lei n.º 141/95, de 14 de Junho [Prescrições mínimas para a sinalização de segurança e de saúde no trabalho]

»Sinal de salvamento ou de socorro
[Sinalização de segurança e de saúde] É o sinal que dá indicações sobre saídas de emergência ou meios de socorro ou salvamento.
Fonte: Decreto-Lei n.º 141/95, de 14 de Junho [Prescrições mínimas para a sinalização de segurança e de saúde no trabalho]

»Sinal gestual
[Sinalização de segurança e de saúde] Consiste no movimento, ou numa posição dos braços ou das mãos, ou qualquer combinação entre eles que, através de uma forma codificada, oriente a realização de manobras que representem risco ou perigo para os trabalhadores.
Fonte: Decreto-Lei n.º 141/95, de 14 de Junho [Prescrições mínimas para a sinalização de segurança e de saúde no trabalho]

»Sinal luminoso
[Sinalização de segurança e de saúde] é o sinal emitido por um dispositivo composto por materiais transparentes ou translúcidos, iluminados a partir do interior ou pela retaguarda, de modo a transformá-lo numa superfície luminosa.
Fonte: Decreto-Lei n.º 141/95, de 14 de Junho [Prescrições mínimas para a sinalização de segurança e de saúde no trabalho]

»Sinalização
Técnica que procura estimular o indivíduo, face a estímulos visuais ou sonoros, de modo a condicionar a sua actuação frente a situações de risco.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Sinalização de segurança e de saúde
[Sinalização de segurança e de saúde] É a sinalização relacionada com um objecto, uma actividade ou uma situação determinada, que fornece uma indicação ou uma prescrição relativa a segurança ou a saúde no trabalho, ou a ambas, por intermédio de uma placa, uma cor, um sinal luminoso ou acústico, uma comunicação verbal ou um sinal gestual.
Fonte: Decreto-Lei n.º 141/95, de 14 de Junho [Prescrições mínimas para a sinalização de segurança e de saúde no trabalho]

»Sismo
[Construção] Fenómeno natural que introduz factores de risco adicionais a calcular em obras de engenharia, dispondo de regulamentação própria.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Sistema
Conjunto determinado de elementos discretos (ou componentes) interligados ou em interacção.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Sistema de Gestão da Prevenção de Riscos Profissionais
Parte do sistema geral da gestão da organização que define a política da prevenção, que inclui a estrutura organizativa, as responsabilidades, as políticas, os procedimentos, os processos e os meios para levar cabo a política de gestão da prevenção.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Sistema de Gestão da Segurança e Saúde no Trabalho
Conjunto de elementos interrelacionados ou interactivos que têm por objecto estabelecer uma política e objectivos de SST, e alcançar tais objectivos.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Sistema de Prevenção de Riscos Profissionais
Sistema que visa a efectivação do direito à segurança e à protecção da saúde no local de trabalho por via da salvaguarda da coerência de medidas e da eficácia de intervenção das entidades públicas, privadas ou cooperativas, que exercem, naquele âmbito, competências nas áreas da regulamentação, licenciamento, certificação, normalização, investigação, formação, informação, consulta e participação, serviços técnicos de prevenção e vigilância da saúde e inspecção.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Sistema Educativo
[Conjunto de meios pelo qual se concretiza o direito à educação que se exprime pela garantia de uma permanente acção formativa orientada para favorecer o desenvolvimento global da personalidade, o progresso social e a democratização da sociedade.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Sistema Português da Qualidade
Conjunto de estruturas, regras de procedimento, métodos e acções necessárias ou convenientes para a garantia e desenvolvimento da qualidade de produtos e serviços, mediante a gestão concertada de três subsistemas nacionais - metrologia, normalização e qualificação.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Sistemas de protecção
[Atmosferas explosivas] São considerados “sistemas de protecção” os dispositivos, que não os componentes dos aparelhos, cuja função consista em fazer parar imediatamente as explosões incipientes e/ou limitar a zona afectada por uma explosão e que sejam colocados no mercado separadamente como sistemas com funções autónomas.
O termo “sistemas de protecção” abrange igualmente os sistemas de protecção integrados colocados no mercado com um aparelho.
Fonte: COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Segurança e saúde dos trabalhadores expostos a atmosfera explosivas: guia de boas práticas. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto para a Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho, 2006

»Soalho
[Construção] Carga não permanente. Pode ser fixa, como os móveis de uma habitação ou móvel, como os automóveis numa ponte.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Sobrecarga
[Construção] Carga não permanente. Pode ser fixa, como os móveis de uma habitação ou móvel, como os automóveis numa ponte.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Soleira
[Construção] Tira de pedra aparelhada, aplicada na entrada de uma porta exterior.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Solho
O mesmo que soalho.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Solo
[Construção] Camada superficial da terra, em que assentam as construções. O seu estudo é fundamental para garantir a segurança e estabilidade das obras de construção.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Sonda
[Equipamentos de medição] Conjunto de aparelhos utilizados para estudar as camadas interiores de um solo. Num fluido, equipamento que se introduz para fornecer dados relativos ao seu nível, velocidade de escoamento, etc.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Sonómetro
[Equipamentos de medição] Aparelho destinado a medir a pressão sonora num ambiente ou posto de trabalho. Estes dados permitem proteger os trabalhadores relativamente ao risco de surdez ou promover a insonorização dos ambientes de trabalho.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Sótão
[Construção] Pavimento abaixo do telhado.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Soterramento
Risco que se corre em trabalhos de escavação de ficar debaixo das terras que se desprendem, podendo provocar a morte por asfixia ou por traumatismo.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Stocagem
[Construção] Armazenamento dos materiais num estaleiro. Deve obedecer a regras de segurança, quer quanto aos riscos inerentes à armazenagem, quer relativos ao risco de incêndio.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Subempreiteiro
[Construção] É a pessoa singular ou colectiva autorizada a exercer a actividade de empreiteiro de obras públicas ou de industrial de construção civil que executa parte da obra mediante contrato com a entidade executante.
Fonte: Decreto-Lei n.º 273/2003, de 29 de Outubro

»Subsistema da Qualificação
Componente do Sistema Português da. Qualidade que visa a demonstração da conformidade de produtos, de serviços e de sistemas de qualidade com requisitos previamente fixados.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Subsistema de Metrologia
Componente do Sistema. Português da. Qualidade que visa a realização, a manutenção e o desenvolvimento dos padrões metrológicos nacionais, assim como a garantia e a promoção do rigor das medições, no quadro da harmonização de padrões a nível internacional.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Subsistema de Normalização
Componente do Sistema Português da Qualidade que visa a elaboração ou adopção de normas ou de especificações técnicas.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Subsolo
[Construção] Parte da área da construção que se encontra abaixo do nível do solo.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção da Condições de Trabalho, 1996

»Substância radioactiva
[Substâncias radioactivas] Qualquer substância que contenha um ou mais radionuclidos cuja actividade ou concentração não possa ser menosprezada do ponto de vista da protecção contra as radiações.
Fonte: Decreto-Lei n.º 174/2002, de 25 de Julho [Regras aplicáveis à intervenção em caso de emergência radiológica]

»Substâncias
São elementos químicos e seus compostos tais como se apresentam no seu estado natural ou como são produzidos pela indústria, incluindo todos os aditivos necessários à sua comercialização.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Substâncias susceptíveis de formar atmosferas explosivas
[Atmosferas explosivas] As substâncias inflamáveis e/ou combustíveis são consideradas substâncias susceptíveis de formar atmosferas explosivas, excepto se a análise das suas características demonstrar que, em misturas com o ar, essas substâncias não podem propagar espontaneamente uma explosão.
Fonte: COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Segurança e saúde dos trabalhadores expostos a atmosfera explosivas: guia de boas práticas. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto para a Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho, 2006.

»Sucção
Acto ou efeito de sugar ou de chupar; absorção.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Sumidouro
Caixa destinada a escoar as águas através dos furos que contém.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Suspensão imediata de trabalhos
[Procedimentos inspectivos da ACT – coercivos] Constituem notificações para que sejam adoptadas medidas imediatamente executórias (dispensando a intermediação judiciária para legitimar a ordem dada), incluindo a suspensão de trabalhos em curso, em caso de perigo grave ou probabilidade séria da verificação de lesão da vida, integridade física ou saúde dos trabalhadores (art.º 13º/2-b da Convenção 81 da OIT e art.º 10º/1-d do Decreto-Lei n.º 102/2000).
Os trabalhos suspensos só podem ser retomados com autorização expressa do inspector do trabalho.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

Fonte: http://www.act.gov.pt

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

»Tabique
[Construção] Parede leve, de pouca espessura, destinada a separar dois espaços.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Tábua de pé
[Equipamentos de trabalho] Em andaimes, é a designação que se dá às tábuas onde se apoiam os trabalhadores.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Taipa
[Construção] Parede de alvenaria de barro, palha e pedra pequena, compactada com água e seguidamente seca.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Taipal
[Construção] Painel composto por tábuas ou outro material destinado a cofragens de superfícies.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Talocha
[Equipamentos de trabalho] Ferramenta de pedreiro ou estucador, formada por elemento rectangular com pega e destinada a apertar e alisar as massas.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Talude
[Construção] Superfície inclinada de uma escavação ou aterro. O ângulo de estabilização de um talude varia de acordo com ângulo de atrito interno dos materiais, mas também com o teor da água. Recomendam-se medidas de segurança para cada caso, já que os taludes podem constituir risco potencial elevado de acidentes. (ex: risco de soterramento).
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Tamanho das partículas
[Atmosferas explosivas] Diâmetro nominal de uma partícula de poeira.
Fonte: COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Segurança e saúde dos trabalhadores expostos a atmosfera explosivas: guia de boas práticas. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto para a Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho, 2006.

»Tangente
Em trigonometria é o quociente entre o seno e o co-seno de um arco. Linha que tem apenas um ponto comum com uma curva.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Tapume
[Construção] Vedação opaca em torno de uma obra.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Tardoz
[Construção] Face posterior de um edifício.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Tarefa
Conjunto de operações com afinidades entre si de que resulta uma actividade.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Tarefeiro
[Construção] O que se incumbe da execução de trabalhos necesários à realização de uma obra; subempreiteiro.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Tarraxa
Ferramenta para fazer rosca em tubos ou varões.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Tarugo
[Construção] Ligação transversal, num conjunto de vigas, para contrariar a deformação destas.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»
[Equipamentos de trabalho] Régua de desenhador com a forma de T.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Tecnicamente estanque
[Atmosferas explosivas] Consideram-se “estanques” as partes de instalações em que não sejam discerníveis fugas durante o ensaio, monitorização ou verificação da estanquidade, utilizando, por exemplo, agentes espumantes ou equipamentos de detecção/indicação de fugas, não podendo, no entanto, ser excluída a possibilidade de libertações pouco frequentes de pequenas quantidades de substâncias inflamáveis.
Fonte: COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Segurança e saúde dos trabalhadores expostos a atmosfera explosivas: guia de boas práticas. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto para a Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho, 2006.

»Técnico de segurança e higiene do trabalho
O profissional que desenvolve actividades de prevenção e de protecção contra riscos profissionais.
Fonte: Decreto-Lei n.º 110/2000, de 30 de Junho

»Técnico superior de segurança e higiene do trabalho
O profissional que organiza, desenvolve, coordena e controla as actividades de prevenção e de protecção contra riscos profissionais.
Fonte: Decreto-Lei n.º 110/2000, de 30 de Junho

»Tectónico
Relativo à crusta ou crosta terrestre.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Telha
[Construção] Peça de barro, cimento ou vidro para revestimento de telhados.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Telhado
[Construção] Cobertura de edifícios, com planos inclinados e revestida com telhas.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Telheiro
[Construção] Construção aberta e coberta com telhado.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Têmpera
Consistência que se dá ao aço.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho

»Temperatura de ignição
[Atmosferas explosivas] A temperatura mais baixa de uma superfície quente, determinada sob condições de ensaio específicas, na qual ocorrerá a ignição de uma substância combustível sob a forma de gás, vapor ou poeira com o ar.
Fonte: COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS. Segurança e saúde dos trabalhadores expostos a atmosfera explosivas: guia de boas práticas. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto para a Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho, 2006.

»Temperatura de superfície máxima admissível
[Atmosferas explosivas] Temperatura máxima admissível de uma superfície (por exemplo de equipamento), obtida deduzindo um determinado valor de temperatura à temperatura de ignição e/ou combustão.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho

»Temperatura húmida
[Ambiente térmico] Temperatura medida com um termómetro de bolbo húmido e protegido do calor radiante. Com esta e a ajuda de um diagrama psicométrico calcula-se a humidade absoluta e relativa.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho

»Temperatura seca
[Ambiente térmico] Ou temperatura ambiente, é a que é dada por um termómetro protegido do calor radiante.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho

»Tensão
Quociente da força actuante pela área em que se exerce.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho

»Teodolito
[Equipamentos de medição] Instrumento geodésico com que se fazem os levantamentos dos terrenos e se medem ângulos horizontais e zenais, ect.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho

»Teratogénico
Quaquer factor ou substância que possa induzir ou incrementar o risco de defeitos congénitos, isto é, que possa produzir mal formações congénitas. Diferentes teratógenos podem causar defeitos similares se a exposição aos mesmos teve lugar em determinado momento do desenvolvimento fetal. Por outro lado, a exposição ao mesmo teratógeno em diferentes momentos da gravidez pode produzir diferentes efeitos.
Fonte: TELO, Emília; CORREIA, Maria Manuela Calado. Prevenção de riscos no período de maternidade: guia de boas práticas, 1.ª Edição, Lisboa, Instituto  para a Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho, 2006

»Terebintina
Aguarrás; diluente largamente utilizado no fabrico de tintas. Impõe-se o seu manuseamento com equipamento apropriado.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho

»Termómetro de globo
[Ambiente térmico] Aparelho destinado a medir o calor radiante, consistindo num termómetro que dispõe de uma esfera de cobre pintada sobre preto baço.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho

»Terraço
[Construção] Cobertura plana em edifíco, que pode ser utilizável ou não.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho

»Teste
Comprovação, ou exame, de uma ou mais propriedades ou características de um produto, através de um conjunto de observações.
Fonte: Autoridade para as Condições de Trabalho

»Textura
Aspecto de uma rocha considerando a forma e a combinação dos cristais.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho

»Tijoleira
[Construção] Peça cerâmica de pequena espessura destinada a revestimentos.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho

»Tijolo
[Construção] Elementos cerâmicos de barro vermelho utilizados no fabrico de alvenarias.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho

»Tintas
Mistura de substâncias destinadas a revestir as superfícies de uma obra, demodo a protegê-la A natureza dos produtos que as constituem podem comportar riscos para a saúde dos trabalhadores que as aplicam.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho

»Tipos de protecção contra a ignição
[Atmosferas explosivas] As medidas especiais aplicadas ao equipamento a fim de evitar a ignição de uma atmosfera explosiva circundante.
Fonte: COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS: Segurança e saúde dos trabalhadores expostos a atmosferas explosivas: guia de boas práticas. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto para a Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho, 2006

»Tirante
Elemento de uma estrutura que funciona à tracção.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho

»Tirefor
Aparelho composto por um cabo e um sistema que, por deslocação alternada, tracciona o mesmo cabo.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho

»TLV
Corresponde à designação inglesa "Threshold Limit Values". Ou seja, os Valores Limites Superiores da ACGSH que são utilizados por grande número de higienistas industriais para o controlo dos riscos produzidos pelos contaminantes. Em Portugal equivalem aos VLE - Valor Limite de Exposição.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho

»Tout-venant
[Construção] Brita miúda resultante da limpeza da pedreira.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho

»Tóxico
[Substâncias perigosas] Substância que, atingindo determinado órgão, mesmo em pequenas quantidades, produz transtornos graves.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho

»Toxicologia
Estudo dos efeitos adversos dos produtos químicos nos organismos vivos.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Toxicologia Industrial
Parte da toxicologia que estuda a acção sobre os trabalhadores das substâncias e preparações químicas existentes na indústria, visando a sua identificação e análise, estabelecendo a sua incidência e actuação sobre o organismo humano, recomendando os tratamentos, meios para a sua detecção, evolução e controlo das medidas preventivas.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Trabalhador
Pessoa singular que, mediante retribuição, se obriga a prestar serviço a um empregador e, bem assim, o tirocinante, o estagiário e o aprendiz que estejam na dependência económica do empregador em razão dos meios de trabalho e do resultado da sua actividade.
Fonte: Lei n.º 102/2009, de 10 de Setembro [Regime jurídico da promoção da segurança e saúde no trabalho]

»Trabalhador Designado
Trabalhador nomeado pelo empregador para assegurar o desenvolvimento das actividades de segurança e higiene do trabalho na empresa.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Trabalhador exposto
Qualquer trabalhador que se encontre, totalmente ou em parte, numa zona perigosa.
Fonte: Decreto-Lei nº 50/2005, de 25 de Fevereiro de 2005

»Trabalhador exposto ao ruído
[Ruído no local de trabalho] É o trabalhador cuja exposição diária ao ruído durante o trabalho é igual ou superior ao nível de acção ou que está sujeito durante o trabalho a picos do nível de pressão sonora iguais ou superiores ao valor limite de pico.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho

»Trabalhador Independente
Pessoa singular que exerce uma actividade por conta própria.
[Construção] É a pessoa singular que efectua pessoalmente uma actividade profissional, não vinculada por contrato de trabalho, para realizar uma parte da obra a que se obrigou perante o dono da obra ou a entidade executante; pode ser empresário em nome individual.
Fonte: Lei n.º 102/2009, de 10 de Setembro [Regime jurídico da promoção da segurança e saúde no trabalho]; Fonte: Decreto-Lei n.º 273/2003, de 29 de Outubro

»Trabalhador temporário
[Trabalho temporário] A pessoa que celebra com uma empresa de trabalho temporário um contrato de trabalho temporário ou um contrato de trabalho por tempo inderteminado para cedência temporária.
Fonte: Lei n.º 19/2007, de 22 de Maio [Regime jurídico do trabalho temporário]

»Trabalhadora grávida
Toda a trabalhadora que informe  o empregador do seu estado de gestação, por escrito, com apresentação de atestado médico.
Fonte: TELO, Emília; CORREIA, Maria Manuela Calado. Prevenção de riscos no perídod de maternidade: guia de boas práticas. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto para a Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho, 2006 

»Trabalhadora lactante
Toda a trabalhadora que amamenta o filho e informe o empregador do seu estado, por escrito, com apresentação de atestado médico.
Fonte: TELO, Emília; CORREIA, Maria Manuela Calado. Prevenção de riscos no período de maternidade: guia de boas práticas. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto para a Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho, 2006

»Trabalhadora puérpera
Toda a trabalhadora parturiente, e durante um período de 120 dias imediatamente posteriores ao parto, que informe o empregador do seu estado, por escrito, com a apresentação de atestado médico.
Fonte: TELO, Emília; CORREIA, Maria Manuela Calado. Prevenção de riscos no período de maternidade: guia de boas práticas. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto para a Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho, 2006

»Trabalho de risco elevado
Trabalho que expõe os trabalhadores habitualmente a agentes ou a factores de risco de gravidade elevada.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Trabalho monótono

Trabalho que implica o mesmo tipo de movimentos durante um longo período de tempo ou que está associado a um conteúdo criativo insignificante.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Trabalho penoso
Trabalho realizado em condições que expõem o trabalhador a um grau elevado de fadiga ou de "stress".
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Trabalho repetitivo
Trabalho em que o operador tem de efectuar movimentos contínuos mantidos com uma determinada frequência.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Travejamento
[Construção] Conjunto de traves que formam o vigamento.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho

»Trincha
[Equipamentos de trabalho] Pincel achatado e largo.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho

»Trolha
Pedreiro especializado em acabamentos (usa-se este termo na zona norte de Portugal).
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho

»Tupia
[Equipamentos de trabalho] Máquinas de carpintaria para fazer molduras corridas utilizando presas.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho

»Turquês
[Equipamentos de trabalho] Alicate de corte com as lâminas normais ao cabo.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho

Fonte: http://www.act.gov.pt

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
»Utilização de um equipamento de trabalho
[Equipamentos de trabalho] Qualquer actividade em que o trabalhador contacte com um equipamento de trabalho, nomeadamente a colocação em serviço ou fora dele, o uso, o transporte, a reparação, a transformação, a manutenção e a conservação, incluindo a limpeza.
Fonte: Decreto-Lei nº 50/2005, de 25 de Fevereiro de 2005

»Utilizador
[Trabalho temporário] A pessoa singular ou colectiva, com ou sem fins lucrativos, que ocupa, sob a sua autoridade e direcção, trabalhadores cedidos por uma empresa de trabalho temporário.
Fonte: Lei n.º 19/2007, de 22 de Maio [Regime jurídico do trabalho temporário]

Fonte: http://www.act.gov.pt

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

»Vala
[Construção] Escavação longa e com largura e profundidade variável. Os trabalhadores relativos a este tipo de escavação e construção de terrenos obedecem a normas estipuladas e criterioso estudo, pelo que deverão ser observadas as necessárias regras de segurança, sob supervisão de técnico responsável.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Valor limite de pico de ruído
[Ruído no local de trabalho] É o máximo do pico de nível de pressão sonora e igual a 140dB, equivalente a 200 pascal de valor máximo da pressão sonora instantânea não ponderada.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Valores de acção superior e inferior de ruído
[Ruído no local de trabalho] De acordo com o actual diploma legal que regula a exposição ao ruído durante o trabalho (Decreto-Lei n.º 182/2006, de 6 de Setembro) e que transpôs para o direito nacional a Directiva n.º 2003/10/CE, os «valores de acção superior e inferior» correspondem aos níveis de exposição diária ou semanal ou aos níveis da pressão sonora de pico que, em caso de ultrapassagem, implicam a tomada de medidas preventivas adequadas à redução do risco para a segurança e saúde dos trabalhadores.

Valores de acção superiores:
LEX,8h = L EX,8h = 85 dB (A) e LCpico = 137 dB (C) equivalente a 140 Pa;

Valores de acção inferiores
:
LEX,8h = L EX,8h = 80 dB(A) e LCpico = 135 dB (C) equivalente a 112 Pa.

Fonte: Decreto-Lei n.º 182/2006, de 6 de Setembro

»Valores limite de exposição ao ruído
[Ruído no local de trabalho] De acordo com o actual diploma legal que regula a exposição ao ruído durante o trabalho (Decreto-Lei n.º 182/2006, de 6 de Setembro) e que transpôs para o direito nacional a Directiva n.º 2003/10/CE, os «valores limite de exposição» correspondem ao nível de exposição diária ou semanal ou ao nível da pressão sonora de pico que não deve ser ultrapassado.
Valores limites de exposição:
LEX,8h = L EX,8h = 87 dB (A) e LCpico = 140 dB (C) equivalente a 200 Pa;

Fonte: Decreto-Lei n.º 182/2006, de 6 de Setembro

»Vão
[Construção] Abertura em parede que pode ser porta, janela, etc. Também se designa por vão o espaço entre apoios consecutivos de uma viga.
Os regulamentos e normas de segurança preconizam medidas de segurança específicas para protecção dos vãos, relativamente ao risco de queda em altura.Construção] Escavação longa e com largura e profundidade variável. Os trabalhadores relativos a este tipo de escavação e construção de terrenos obedecem a normas estipuladas e criterioso estudo, pelo que deverão ser observadas as necessárias regras de segurança, sob supervisão de técnico responsável.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Vapor
Fase gasosa de uma substância que, nas condições normais de pressão e temperatura (NPT), se apresenta no estado sólido ou líquido. O tamanho das partículas é molecular e estas têm fraca coesão com os gases.
A presença de vapores perigosos carece de medidas similares às adoptadas para os gases.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Varanda
[Construção] Pavimento exterior, protegido por guarda, que constitui o prolongamento do pavimento interior.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Varão
[Construção] Perfil de aço, redondo, liso ou nervurado, que é utilizado na execução das armaduras do betão armado.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Varedo
[Construção] Estrutura de barrotes e vigotas sobre as quais assenta a ripa para receber a telha de uma.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Varejo
[Construção] Encurvamento de uma peça linear (pilar) sobre efeito de uma carga de compressão.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Varola
[Construção] Vara redonda de pequena dimensão (10cm) usada para escoramento, vedações, etc.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Vazadouro
[Construção] Local onde se despejam entulhos e terras sobrantes das obras.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Vector
Segmento de recta que define um sentido, dimensão e direcção.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Vedação
[Construção] Protecção, opaca ou não, que isola um espaço de obra. Esta vedação deve dispor de entrada para viaturas e peões devidamente sinalizadas e com a indicação dos riscos e medidas de protecção a tomar no interior da mesma.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Varola
[Construção] Vara redonda de pequena dimensão (10cm) usada para escoramento, vedações, etc.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Velatura
Pintura, ligeiramente transparente, que possibilita a leitura de alguns elementos cobertos.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Verga
O mesmo que padieira.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Verificação
[Equipamentos de trabalho] O exame detalhado feito por pessoa competente destinado a obter uma conclusão fiável no que respeita à segurança de um equipamento de trabalho.
Fonte: Decreto-Lei nº 50/2005, de 25 de Fevereiro de 2005

»Verniz
Solução de goma, resina e solvente volátil que serve para aplicar como revestimento.
Trata-se de um produto inflamável e, de acordo com o tipo de solvente e resina utilizado, pode conter riscos para o utilizador.
É também importante considerar o processo de aplicação, visto que, se colocado com pistola, provoca a sua difusão no ambiente, o que obriga à tomada de medidas de segurança específicas para esta situação.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Vertente
[Construção] Plano inclinado relativo a um terreno, cobertura ou outra superfície.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Via
Espaço de transporte ou deslocação entre dois pontos, podendo ser aérea, marítima, fluvial, terrestre, etc.
Fonte:RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Viaduto
[Construção] Obra de engenharia e arquitectura, em geral de betão armado, que serve para ligar dois pontos de uma via, acima da cota de terreno natural.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Vibrações transmitidas ao corpo inteiro
[Vibrações] São as vibrações mecânicas transmitidas ao corpo inteiro que implicam riscos para a saúde e a segurança dos trabalhadores, em especial lombalgias e traumatismos da coluna vertebral.
Fonte: Decreto-Lei n.º 46/2006, de 24 de Fevereiro [Prescrições mínimas de protecção da saúde e segurança dos trabalhadores em caso de exposição aos riscos devidos a vibrações]

»Vibrações transmitidas ao sistema mão-braço
[Vibrações] São as vibrações mecânicas transmitidas ao sistema mão-braço que implicam riscos para a saúde e a segurança dos trabalhadores, em especial perturbações vasculares, neurológicas ou musculares ou lesões osteoarticulares.
Fonte: Decreto-Lei n.º 46/2006, de 24 de Fevereiro [Prescrições mínimas de protecção da saúde e segurança dos trabalhadores em caso de exposição aos riscos devidos a vibrações]

»Vibrador
[Equipamentos de trabalho] Máquina destinada a produzir vibração no betão através da introdução de uma agulha, com o fim de arrumar os componentes e produzir uma massa compacta.
Também se utiliza este efeito noutros tipos de máquina para compactar solos.
As vibrações têm efeitos nefastos sobre o corpo humano, pelo que, se se verificar existir esse risco, devem ser feitas avaliações e adoptadas medidas de segurança.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Vidraço
[Construção] Pedra calcária branca e luzidia que se utiliza em cantarias e pavimentos.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Viga
[Construção] Peça linear que suporta esforços, fundamentalmente de flexão.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Vigilância da Saúde
Acção de monitorizar a saúde das pessoas para detectar sinais ou sintomas de danos para a saúde, relacionados com o trabalho, para que possam ser tomadas medidas para eliminar, ou reduzir, a probabilidade de ocorrência de mais danos.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Vigota
[Construção] Pequena viga de madeira, betão armado ou pré-esforçado. São estas últimas muito comuns na execução de lajes aligeiradas.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Visita inspectiva
[Procedimentos inspectivos da ACT] Deslocação a um estabelecimento, local de trabalho, sede de entidade empregadora efectuada por um inspector do trabalho e decorrente do exercício da função inspectiva e da qual resulta uma informação técnica, relatório ou inquérito, passível de tratamento no sistema de informação da Autoridade para as Condições do Trabalho. Estas visitas podem ser impulsionadas por iniciativa da Autoridade para as Condições do Trabalho ou a pedido de terceiros.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Vistorias conjuntas e pareceres
[Procedimentos inspectivos da ACT] Procedimentos de apoio à decisão das entidades licenciadoras no âmbito de processos de licenciamento relativos à instalação, alteração e laboração de estabelecimentos, tendo em vista a prevenção de riscos profissionais (art.º 10º/1-g do Decreto-Lei n.º 102/2000).
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»VLE (valor limite de exposição)
Trata-se de um valor de referência para a concentração máxima admissível, para uma dada substância presente no ambiente de trabalho, até ao qual o trabalhador pode estar exposto durante um certo tempo. Pode expressar-se num valor médio (VLE-MP), a média ponderada para 8h00/dia ou 40h00/semana que não deve ser excedida, num valor de concentração máxima que nunca pode ser excedido instantaneamente (VLE-CM) ou em curta duração (VLE-CD), em regra, inferior a 15 minutos. Em qualquer caso este valor não representa uma linha divisória entre concentrações seguras e perigosas, importando ter em conta as susceptibilidades individuais.
Fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho

»Volátil
Líquido que, em contacto com o ar, se transforma em gás ou em vapor. Estes líquidos são frequentemente utilizados como solventes e são, em geral, inflamáveis e/ou explosivos, pelo que devem ser observadas medidas de segurança, além das relativas ao risco químico que possam comportar.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 1996

»Volt (V)
[Electricidade] Diferença de potencial eléctrico que existe entre dois pontos de um condutor que transporta uma corrente de intensidade constante de um ampere quando a potência dispendida entre estes pontos é 1W. Unidade de tensão eléctrica, potência eléctrica e força electromotriz.
Fonte: RODRIGUES, Germano. Segurança na Construção: Glossário. 1.ª Edição, Lisboa, Instituto de Desenvolvimento e Inspecção das Condições de Trabalho, 199

Fonte: http://www.act.gov.pt