Votos do utilizador: 0 / 5

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Condições para concorrer a uma renda acessívelRendas acessíveis dão benefícios fiscais a senhorios

Os agregados familiares só podem candidatar-se a uma casa cujo valor de renda não represente um esforço excessivo relativamente ao seu orçamento, mas esse limite ainda está a ser ponderado. O mais provável é que a renda não possa representar mais do que 25 a 30% do rendimento mensal da família. Atualmente, os gastos com a habitação consomem, em média, cerca de 35% do orçamento das famílias portuguesas, um valor muito elevado que o Governo espera fazer baixar em dez pontos percentuais com este pacote de medidas. De fora do programa de arrendamento acessível ficarão as famílias com rendimentos elevados, mas também aqui o limite máximo ainda não está definido. Independentemente do rendimento, também serão impedidos de concorrer ao programa — neste caso por um período de cinco anos — todos os inquilinos que tenham sido condenados em tribunal por incumprimento no pagamento da renda.

Votos do utilizador: 0 / 5

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

O valor de 1,1% corresponde à variação dos últimos 12 meses do Índice de Preços do Consumidor, Coeficiente para actualização de rendas em 2018 é de 1,1%sem habitação

Tendo em conta os dados da inflação publicados na quinta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), as rendas deverão ser atualizadas em 1,1% em 2018, avança o “Jornal de Negócios”. Trata-se do maior aumento desde 2013 e representa mais do dobro do que no ano anterior.

Segundo o matutino, esta atualização deverá fazer sentir-se nos bolsos de 600 mil famílias e de centenas de milhares de comerciantes.

O valor de 1,1% corresponde à variação dos últimos 12 meses do Índice de Preços do Consumidor, sem habitação. Ao nível oficial, o valor que conta para determinar o aumento exato a aplicar-se em 2018 será divulgado em setembro pelo INE, mas a experiência de anos anteriores mostra que as variações nunca superam uma décima.

Votos do utilizador: 5 / 5

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa

Ao fim de dois anos de quase estagnação, as rendas vão aumentadas, em 0,54%. Este valor é definido pela inflação registada em Agosto e Coeficiente de atualização de rendas para 2017 é 0,54%publicada pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

As rendas vão ser actualizadas em 0,54% em 2017. O Instituto Nacional de Estatística já publicou os números relativos à variação de preços em Agosto, que é o mês de referência para a actualização automática dos contratos de arrendamento em Portugal.

Por exemplo, se paga actualmente uma renda de 700 euros, com esta actualização de 0,54%, passará a pagar 738 euros (700 + 3,78 de aumento).

Votos do utilizador: 0 / 5

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Este ano os senhorios vão poder deduzir mais despesas do que em anos anteriores.Building House

De acordo com o artigo 41º do novo Código do IRS, que entrou em vigor em 2015, mas cujos principais efeitos são principalmente sentidos a partir deste ano, o leque de despesas que os senhorios podem abater às rendas que receberam ao longo do ano anterior foi alargado e passou a contemplar “todos os gastos efetivamente suportados e pagos pelo sujeito passivo para obter ou garantir tais rendimentos”.

Continua a não ser possível deduzir gastos de natureza financeira, relativos a depreciações e a mobiliário, eletrodomésticos e artigos de conforto ou decoração. No entanto, se recorreu a uma mediadora imobiliária para conseguir arrendar a casa, poderá abater essa despesa aos rendimentos prediais.

Votos do utilizador: 0 / 5

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Disparar do incumprimento leva a que cada vez mais senhorios queiram garantias de que vão receber as rendas contratualizadashome 1

Quem procura casa para arrendar é cada vez mais confrontado com pedidos de informação por parte dos senhorios que querem garantias de que a renda não fica por pagar.

Cópia de recibos do ordenado, declaração da empresa onde trabalham, fiador, declaração do IRS e até o registo criminal são exigências cada vez mais comuns.

A Associação de Inquilinos Lisbonenses (AIL) não vê mal nenhum neste escrutínio reforçado, mas considera que há algum exagero quando as exigências chegam ao IRS.