Votos do utilizador: 0 / 5

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

O valor de 1,1% corresponde à variação dos últimos 12 meses do Índice de Preços do Consumidor, Coeficiente para actualização de rendas em 2018 é de 1,1%sem habitação

Tendo em conta os dados da inflação publicados na quinta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), as rendas deverão ser atualizadas em 1,1% em 2018, avança o “Jornal de Negócios”. Trata-se do maior aumento desde 2013 e representa mais do dobro do que no ano anterior.

Segundo o matutino, esta atualização deverá fazer sentir-se nos bolsos de 600 mil famílias e de centenas de milhares de comerciantes.

O valor de 1,1% corresponde à variação dos últimos 12 meses do Índice de Preços do Consumidor, sem habitação. Ao nível oficial, o valor que conta para determinar o aumento exato a aplicar-se em 2018 será divulgado em setembro pelo INE, mas a experiência de anos anteriores mostra que as variações nunca superam uma décima.

A renda de uma habitação pode ser atualizada, de acordo com o aviso publicado pelo INE, nos termos que tiverem sido estipulados no contrato de arrendamento. Por defeito, a regra é atualizar-se o valor no mês em que o contrato foi assinado.

No caso das rendas antigas, que não tenham sido sujeitas a atualização, o aumento é devido em janeiro.

Fonte: Expresso


[Actualização]

Foi publicado na 2ª série do D.R. de 25 de Setembro o Aviso nº 11053/2017 do Instituto Nacional de Estatística (INE), de 12/9, que, em execução da legislação em vigor, fixa em 1,0112 (1,12%) o coeficiente de atualização das rendas dos diversos tipos de arrendamento urbano (isto é, para habitação, em regime de renda livre, condicionada ou apoiada, comércio, indústria, exercício de profissão liberal e outros fins não habitacionais), e rural, para vigorar no ano civil de 2018.

Artigos relacionados: